Exatamente uma semana antes da histórica goleada de 6 a 2 sobre o Santos, de Pelé, na partida de ida da final da Taça Brasil de 1966, em 30 de novembro, no Mineirão, o Cruzeiro conquistava o direito de ser o primeiro clube mineiro a decidir uma competição nacional vencendo o Fluminense, por 3 a 1, no Maracanã, no confronto de volta de uma das semifinais do torneio.

Sim, a história cruzeirense no estádio carioca, que completa 70 anos nesta terça-feira (16), começa bem antes da traumática decisão do Brasileirão de 1974, diante do Vasco, ou dos empates, ambos por 1 a 1, com sabor de vitória diante do Flamengo, nas partidas de ida das decisões da Copa do Brasil de 2003 e 2017, quando o tetra e o penta depois foram garantidos no Mineirão.

Dirceu Lopes e Tostão

Tostão marcou três gols pelo Cruzeiro no Maracanã, que tem como maior goleador cruzeirense Dieceu Lopes, que balançou as redes do estádio seis vezes

A vitória sobre o tricolor carioca, um dos grandes feitos na campanha histórica de 1966, foi o segundo jogo do Cruzeiro no Maracanã. O primeiro foi disputado cinco anos antes, também pela Taça Brasil, em 23 de agosto de 1961, contra o América-RJ, campeão da Guanabara em 1960 e que venceu por 2 a 1, ficando com a vaga na sequência do torneio ao empatar por 1 a 1 o segundo confronto, na Alameda.

Números

Fora da Série A do Campeonato Brasileiro, por causa do rebaixamento no ano passado, o Cruzeiro, dificilmente jogará no Maracanã nesta temporada 2020, retardando sua chegada ao 100º jogo no estádio. Até o momento, foram 91 partidas, com 20 vitórias, 38 derrotas e 33 empates. São 90 os gols cruzeirenses no maior estádio do país.

O maior artilheiro da Raposa no Maracanã é o meia-atacante Dirceu Lopes, que marcou seis gols nos anos 1960 e 1970. Depois dele, dividem a segunda colocação os centroavantes Evaldo e Carlos Alberto Seixas, com quatro, cada.

Leia mais:

Maracanã 70 anos: risos e lágrimas mineiras em sete fatos históricos no estádio

Maracanã 70 anos: América teve a chance de mudar a sua história no estádio em 2018 e desperdiçou

Maracanã 70 anos: a história atleticana no estádio além das finais do Brasileiro em 1971 e 1980

Seixas tem uma particularidade, pois é o único cruzeirense a alcançar um hat-trick no Maracanã. Na vitória por 3 a1, de virada, sobre o Botafogo, em 28 de fevereiro de 1985, pelo Campeonato Brasileiro, ele marcou os três gols, aos 21, 41 e 43 minutos do segundo tempo.

O primeiro gol cruzeirense no estádio foi marcado pelo meia-atacante Rossi, na derrota de 2 a 1 para o América-RJ no primeiro jogo da Raposa no Maracanã.
O último tento azul no estádio, é melhor esquecer. Foi de Robinho, em 18 de maio de 2019, numa goleada de 4 a 1 para o Fluminense, na caminhada cruzeirense que terminou com a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro.