Provocada pelas brigas entre as principais organizadas dos dois clubes, a rivalidade entre Cruzeiro e Palmeiras é coisa recente na história de ambos. No início do século passado, quando foram fundados, o que existia eram extensos laços de amizade, e um deles completa exatamente 90 anos nesta segunda-feira.

Em 18 de maio de 1930, o velho Estádio do Barro Preto, que ainda não se chamava JK, sediou o primeiro confronto entre os dois clubes, um amistoso vencido pelos paulistas por 4 a 2, apesar de os mineiros terem naquele momento seu primeiro grande time, serem bicampeões estaduais e chegarem ao tri naquela temporada, e de forma invicta, repetindo o feito de 1929.

No primeiro dos 93 confrontos entre os dois clubes, ambos se chamavam Palestra Itália. E isso facilitou, em 1921, as coisas para o clube mineiro, fundado sete anos depois do paulista.

O primeiro estatuto do Cruzeiro era idêntico ao do Palmeiras, que foi enviado pelos Correios para os italianos de Belo Horizonte por Enrico De Martino, na época vice-presidente do clube paulista.

Essa história é relatada no livro Almanaque do Cruzeiro, de Henrique Ribeiro, e confirmada ainda por Fernando Razzo Galuppo, historiador do Palmeiras.

Cruzeiro

Inauguração

Após a cessão do estatuto e antes do primeiro amistoso, um fato marcou a forte relação entre os dois clubes. “A relação do Palestra Itália paulista com todos os homônimos, e principalmente com os mineiros, sempre foi fraterna e contínua. Sempre aconteceram trocas de informações, cartas, experiências, entre outros, nos registros que constam nas atas oficiais do Palestra paulista. O momento de maior mobilização esportiva que teve um impacto direto entre os clubes, podemos afirmar que foi em 1923, quando o Palestra Paulista (Palmeiras) cedeu três dos seus grandes atletas por empréstimo ao Palestra de Minas Gerais para o jogo inaugural do Estádio do Barro Preto contra o Flamengo. O Palestra Paulista enviou Gasparini, Severino e o astro e maior artilheiro de toda a história do futebol paulista, Heitor Marcelino Domingues”, revela Fernando Galuppo.

Esta partida foi em 23 de setembro de 1923. E apesar de receber jogos desde 1922, o estadinho do Barro Preto foi oficialmente inaugurado nesta data. E no empate por 3 a 3 com o Flamengo, o Palestra Itália teve dois gols marcados pelo seu craque, Ninão, e o outro por Heitor, maior artilheiro da história do Palmeiras com 284 gols.

Antes ainda do amistoso de 1930, na montagem do time que lhe daria o primeiro tricampeonato estadual da sua história, a partir de 1928, o Cruzeiro recorreu ao Palmeiras para se reforçar. 

Responsável, mesmo que indiretamente, pelo rebaixamento cruzeirense à Série B do ano passado, o Palmeiras figura, nos dias atuais, na lista dos inimigos cruzeirenses. Na história do clube, porém, ele é o primeiro aliado.

Outros Palestras do Brasil

Em São Paulo
Palestra de São Bernardo do Campo
Palestra de São José do Rio Preto
Palestra Itália de São Carlos
Palestra Itália de Araraquara
Palestra Itália de Ribeirão Preto
Palestra Itália de Rio Claro
Palestra Itália de Santos
Palestra de Jacareí
Palestra de São José dos Campos

Em Sergipe
Palestra de Aracaju

Em Minas Gerais
Palestra de Ipatinga

No Paraná
Palestra Itália de Curitiba (atual Paraná Clube)
Palestra de Jaguapitã

No Rio de Janeiro
Palestra Itália do Rio de Janeiro