cruzeiro, américa, ipiranga, mineirao, 6 a 1, goleada

Muitos torcedores consideram que o "dia do 6 a 1" para o Cruzeiro é o 4 de dezembro, obviamente, por causa da goleada em cima do Atlético, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2011. Não está errado pensar assim, mas há uma data também emblemática e que carrega um peso interessante relacionado ao mesmo placar. E esse dia é o 8 de maio.

Em dois anos seguidos de forma muito coincidente o Cruzeiro goleou adversários diferentes por 6 a 1 na década de 1990. Em 8 de maio de 1993 a vítima foi o Ipiranga. No ano seguinte, também em 8 de maio, foi o América o goleado da vez por 6 a 1. 

Ipiranga

No confronto com o ipiranga, que aconteceu durante a tarde, no Mineirão, o time visitante sentiu o poderio ofensivo de Luiz Fernando Flores, atualmente o auxiliar técnico de Enderson Moreira no clube. Naquele jogo o meia foi o responsável pela metade dos gols. 

O "Baixinho bom de Bola" anotava seu hat-trick, com Cleison, Paulo Roberto e Roberto Gaúcho completando para a Raposa, que era treinada por Pinheiro. Coube a Valdinei marcar o "de honra" para os visitantes.

cruzeiro, ipiranga, 6 a 1, sumula
 

América

No ano seguinte também em 8 de maio a vítima foi o América. O Coelho levou 6 a 1 do Cruzeiro no Gigante da Pampulha com direito a mais um hat-trick, só que de outro cruzeirense. O técnico Ênio Andrade viu Cleison, que também havia balançado as redes na goleada anterior contra o Ipiranga, ser o "matador" da vez ao sacudir por três vezes "o filó" do goleiro Gilson.

Ronaldinho, que depois viraria "Ronaldo Fenômeno", Toninho Cerezo e Macalé terminaram de liquidar o Alviverde, que marcou o seu gol de honra com Hamilton. 

E o responsável pelo tento americano fazia valer " a lei do ex" mesmo com a "lavada" que sua equipe levou do Cruzeiro. O centroavante atuou com a camisa celeste entre o fim dos anos 1980 e começo de 1990.