cruzeiro, edilson, robinho, coronavirus

Todos os meios de comunicação no mundo inteiro estão "inundados" de informações sobre o Covid-19, seja em relação ao número de infectados ou métodos de prevenção ao tão temido coronavírus. E no meio esportivo a preocupação com os atletas é iminente. No Cruzeiro, especificamente, o departamento médico do clube usa as ferramentas que pode para conscientizar os jogadores sobre o perigo da doença.

O médico Sérgio Campolina falou sobre o diálogo que é mantido com o elenco para a prevenção e monitoramento da saúde de cada jogador.

 "A gente teve uma conversa muito franca da necessidade da informação. Quem tem que dizer se é importante o que eles têm é o departamento de saúde. Apesar de inundados de informação sobre a doença, pedi, caso eles sentirem algo que saísse da normalidade, que me informassem. Fosse uma dor de cabeça, uma diarreia, esse grupo é importante ser controlado", disse Campolina em entrevista à rádio 98FM. 

E o discurso do doutor cruzeirense é comprovado pelos próprios jogadores. Em entrevista exclusiva ao Hoje em Dia, o meia Robinho ressaltou a importância das medidas preventivas ao coronavírus, principalmente em relação à quarentena também conhecida como isolamento social.

"Nesse momento difícil do coronavírus, na verdade, tem que ficar só em casa fazendo as recomendações que todo mundo passou, que o doutor Sérgio (Campolina) passou, o médico do Cruzeiro. Não tenho saído de casa, me prevenindo, muito álcool em gel e lavando as mãos o tempo todo, cuidando o máximo possível. Eu saio para ir somente no mercado uma vez ou outra na semana e já volto para dentro de casa. O Edilson está fazendo a mesma coisa que eu, só com a família trancado dentro de casa. A gente se encontra na casa dele ou na minha para fazer os treinamentos na medida do possível que a gente pode, no espaço que a gente tem. A gente trouxe algumas coisas do Cruzeiro, eles nos emprestaram, par mantermos a forma e assim que a gente está fazendo no que a gente pode, fazendo exercício para ficar bem quando voltar", ressaltou o meio-campista.

Parceiro de Robinho dentro e fora de campo, o lateral-direito Edílson confirma o que foi dito pelo amigo em relação ao momento de ficar "preso dentro de casa" nesse momento de combate ao coronavírus. 

"Desde que o clube nos reuniu para dizer que a gente ficaria em casa de quarentena até o Covid-19 dar uma passada, o que a gente tem feito é ficar em casa com a família, só saio para buscar o necessário, que é de repente um supermercado, uma farmácia, e seguindo todas as normas que o clube, os médicos passaram para todos os jogadores. Nesse momento não dá para fazer nada de diferente, e quanto mais a gente ficar em casa, mais vamos ajudar os familiares, a sociedade, nós mesmos para diminuir (o contágio) o mais rápido possível e a gente voltar à normalidade", ressaltou Edílson em entrevista ao Hoje em Dia