urt, pato, patos de minas
 

Os efeitos da parada drástica do calendário do futebol em decorrência do coronavírus já começam a ser vistos nas equipes menores de Minas Gerais. A União Recreativa dos Trabalhadores (URT) protocolou na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na tarde da última segunda-feira o documento de rescisão de todos os jogadores do elenco. A informação foi antecipada pelo jornalista Matheus Mandy, no Twitter, e confirmada pelo Hoje em Dia.

Em entrevista ao HD a presidente da URT, Maria Isabel Pimenta, confirmou o envio da documentação para a rescisão de todo o elenco do time de Patos de Minas. 

"Estamos em negociação para ver outras medidas que tomaremos, porque é inviável manter o pagamento de toda nossa folha. Vou sentar com minha diretoria esportiva e hoje (31 de março) vamos definir o que será feito, mas, sim, enviamos a documentação para as rescisões", disse.

Segundo a própria presidente da URT a folha salarial do clube gira em torno de R$ 230 mil mensais. 

"Nossos contratos tem duração até 30 de abril e com o calendário todo parado temos que tomar medidas. Como eu disse, é inviável manter os pagamentos sem que tenhamos retorno financeiros", explicou.

A medida de rescisão contratual acontece no fim de março no intuito de economiar a folha de abril, já que a Federação Mineira de Futebol (FMF) instituiu paralização do calendário, inicialmente, até o dia 30 do próximo mês.