O craque Ronaldinho Gaúcho, ídolo da torcida atleticana e aclamado por torcedores de todo o mundo, pode ser investigado por outros crimes além de uso de documento falso. A informação é do promotor paraguaio Osmar Legal e foi concedida, com exclusividade, ao Esporte Espetacular, da TV Globo.

Desde sexta-feira (6) à noite, o jogador e o irmão Roberto Assis Moreira estão presos no país vizinho ao Brasil por usarem passaporte falso. Ao pedir a prisão preventiva dos dois, Legal disse que havia risco de fuga dos irmãos.

Neste domingo (8), em entrevista ao Esporte Espetacular, o promotor declarou que as forças de segurança do Paraguai apuram se outros delitos foram cometidos pelos brasileiros. "Essa investigação ainda está no início e pode haver outros atos criminosos que envolvam o Ronaldo e o Assis. É importante que eles sigam aqui no Paraguai durante esse processo".

Questionado sobre quais seriam esses possíveis crimes, Legal disse que não poderia "adiantar sobre os passos das investigações, mas há indícios que outros crimes foram cometidos". No sábado (7), durante audiência, a defesa de Ronaldinho e Assis tentou que ambos fossem transferidos para prisão domiciliar. Contudo, o pedido foi negado pela Justiça. 

Veja postagem feita pelo Ministério Público do Paraguai sobre o assunto:


Entenda

Na última quinta-feira (5), um dia após chegarem ao Paraguai, Ronaldinho e Assis tiveram os documentos retidos sob suspeita de que seriam falsos. O motivo foi que, em novembro de 2018, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul determinou que os passaportes do ex-jogador e do irmão dele fossem apreendidos até que uma multa por condenação ambiental fosse paga.

Prestes a se aposentar oficialmente dos gramados, o jogador deve fazer, no segundo semestre deste ano, a última partida da carreira no Mineirão, em Belo Horizonte. Fonte ligada ao estádio confirmou ao Hoje em Dia que uma data no mês de julho está reservada para a partida entre os Amigos de R10 e a Seleção do Galo.

Apoio

Ex-presidente do Atlético, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), publicou mensagem no Twitter, no início da tarde deste domingo (8), em apoio ao ex-jogador do Galo. Kalil afirmou não ter conhecimento sobre a confusão em que o craque aparentemente se meteu, mas garantiu que tanto ele quanto a "família" estão rezando para que tudo acabe bem.  

Veja a mensagem:

 

 

Leia mais:
Justiça do Paraguai determina manutenção de prisão de Ronaldinho Gaúcho
Preso com passaporte falso, Ronaldinho Gaúcho chega, algemado, para depor no Paraguai
Despedida de Ronaldinho Gaúcho deve acontecer em julho, no Mineirão