A crise vivida pelo Atlético, que em uma semana foi eliminado da Copa Sul-Americana na primeira fase, pelo Unión, da Argentina, e da Copa do Brasil na segunda fase, pelo Afogados, de Pernambuco, aumentou a pressão da torcida sobre o presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, que vive o último ano do seu primeiro mandato sem conseguir bons resultados no futebol.

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (28), na Cidade do Galo, onde antes teve uma reunião para cobrar e ser cobrado pelo grupo de jogadores, o dirigente afastou qualquer possibilidade de se afastar do comando alvinegro, como pedem alguns torcedores principalmente nas redes sociais.

Sérgio Sette Câmara

“Eu sei que quando acontece uma tragédia como essa que aconteceu, o para-raio de tudo é o presidente. Ele não presta, vão pedir a renuncia dele. É o seguinte, a primeira coisa que quero dizer a todos que estão me atacando é que eu vou permanecer aqui, cumprir o meu mandato, queriam ou não. Ninguém me tira. Fui eleito legitimamente pelo Conselho, não tem um “A” pra falar da minha postura como gestor, sou uma pessoa honesta, tenho um excelente vice que também trabalha muito pelo clube e nós somos medidos obviamente pelos resultados. Quando as coisas não acontecem, você é incompetente, ou isso ou aquilo”, afirmou o dirigente.

O vice citado por Sette Câmara é Lásaro Cândido, que não vai concorrer à reeleição no pleito que será realizado no final deste ano. A tendência é que o atual mandatário concorra à reeleição, embora ele tenha deixado isso em dúvida quando questionado se temia deixar o clube sem ganhar um título oficial.

“Temo deixar o clube em frangalhos, cair para a segunda divisão, ter algum tipo de problema interno em relação a questões financeiras, e aí falando também em aspectos de honestidade. Ganhar títulos é claro que é muito importante e ainda quero, e ainda sonho. Mas você tem 20 clubes no Campeonato brasileiro. Um será campeão. Campeonato Mineiro temos totais condições de ganhar o título, respeitando, claro, todos os concorrentes. Isso acontece. Já tivemos outras situações no passado que tiveram início de mandato complicado e depois tiveram grandes conquistas. Não é tão simples assim. O principal é fazer o melhor, de maneira transparente e honesta. Errei em muitas coisa, tenho tentado melhorar, acertar”, afirmou o presidente atleticano.