Se Rafael tiver sucesso na audiência desta sexta-feira, contra o Cruzeiro, quando pede a liberação para poder seguir a sua carreira em outro clube, entre outros direitos trabalhistas cobrados, a Raposa terá um time inteiro formado por jogadores que deixaram a Toca II em 2020 por causa da grave crise financeira vivida pelo clube.

A única posição que ainda não tinha sofrido baixas por saída de jogador por causa da falta de pagamento de direitos trabalhistas ou pela necessidade de se fazer dinheiro era o gol.

a

Entre promessas, como Fabrício Bruno e Éderson, e veteranos, lista recheada por gente como Henrique, Rodriguinho, Thiago Neves e Fred, o Cruzeiro já perdeu mais de um time. E de todas as saídas, a única venda foi a do lateral-direito Weverton.

Promessa das categorias de base, ele foi usado algumas vezes no segundo semestre do ano passado. Com passagens pela base da Seleção, se valorizou e foi vendido ao Red Bull Bragantino por 1 milhão de euros (cerca de R$ 4,6 milhões).

Muita gente não rendeu dinheiro diretamente, mas abriu mão do que tinha de receber do clube para ficar livre e isso não deixa de ser um alívio no caixa cruzeirense.
Há casos, como o do zagueiro Manoel, que foi para o futebol turco, em que o Cruzeiro até paga parte do salário do jogador.

Mas como não teria condições de arcar com a totalidade do que ele recebe, o prejuízo é menor emprestando o atleta.

O ex-capitão Henrique, com mais de 500 jogos pelo clube, também integra a lista. Como não aceitou a readequação salarial, ele passará a temporada de 2020 defendendo o Fluminense. Se o Cruzeiro voltar à Série A, ele deve retornar, mas aí fica a dúvida se a torcida aceitará.

RESCISÃO

O meia Rodriguinho, que não jogou no segundo semestre do ano passado por causa de uma lesão nas costas, fez a pré-temporada na Toca da Raposa II e chegou a disputar dois jogos pela equipe de Adilson Batista.

Mas não houve acordo para sua permanência e ontem foi assinada a sua rescisão com o clube, sendo que ele tinha mais dois anos de contrato com o Cruzeiro, pois o vínculo se encerraria em dezembro de 2021.

AÇÕES MILIONÁRIAS

Por outro lado, o clube corre o risco de sofrer derrotas grandes na Justiça do Trabalho. O meia Thiago Neves, atualmente no Grêmio, cobra R$ 16 milhões.
O atacante Fred pede quase o dobro disso, sendo que está incluído no valor a multa de R$ 10 milhões que ele teria de pagar ao Atlético caso fosse para o Cruzeiro.