O desânimo estava estampado no rosto dos jogadores do Atlético ao fim da partida de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana. Não era para menos. Ninguém imaginava deixar o gramado do estádio 15 de Abril com um vexame: 3 a 0 para o Unión de Santa Fé.

Incrédulo, o atacante Di Santo tentou explicar os motivos que tornaram o Galo uma presa fácil para os donos da casa. Mesmo assim, está esperançoso de que seja possível inverter o elástico placar.

“Não há muito a dizer. O primeiro tempo foi nosso, mas vacilamos. No segundo tempo entramos mal e tomamos mais gol. Eles (Unión) fizeram o que tinham que fazer: gols. Nós não fizemos. Temos que mostrar força no Brasil, na volta”, afirmou o centroavante.

O segundo duelo está marcado para o dia 20 de fevereiro, no Independência. O Atlético precisa vencer por quatro ou mais gols de diferença para obter a vaga. Outra possibilidade é ganhar por 3 a 0, levando a decisão da vaga para a disputa de pênaltis.