A Assembleia-Geral das Nações Unidas adotou uma resolução pedindo que todos os países-membros sigam um cessar-fogo durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020.

A resolução é uma tradição desde 1993, ano anterior à realização da Olimpíada de Inverno de Lillehammer, na Noruega.

Dos 193 países-membros da ONU, 186 assinaram o documento de trégua para garantir a segurança dos atletas que participam dos Jogos. O cessar-fogo deve ter início uma semana antes do início da Olimpíada e terminar uma semana após a conclusão da Paralimpíada.

O chefe do comitê organizador da Tóquio 2020, Yoshiro Mori, disse, antes da aprovação da resolução, que países de pequeno porte são sempre vítimas de conflitos entre potências mundiais. Ele defendeu a paz e a prosperidade mundiais e disse acreditar que o esporte tem o poder de mudar o mundo e o futuro.


Leia mais:
Tênis de mesa do Brasil confirma presença na Olimpíada de Tóquio 2020
COI inicia inspeção em Tóquio para candidatura de 2020
Surfista Tatiana Weston-Webb é primeira a se garantir em Tóquio 2020