O histórico recente de confusões nas partidas envolvendo o Cruzeiro, no Mineirão, colocou as autoridades em alerta para o jogo da Raposa diante do Palmeiras, válido pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo, que pode decretar o rebaixamento da equipe celeste para a Série B, é visto pelo poder público como de alto risco.

Além da queda para a segunda divisão, outro fator que preocupa as autoridades é a aliança existente entre Mancha Verde e Galoucura, torcidas organizadas de Palmeiras e Atlético, respectivamente.

Diante desse fato, a diretoria cruzeirense chegou a solicitar à Federação Mineira de Futebol (FMF), que a partida deste domingo (8) fosse realizada com torcida única. O pedido também foi feito pelo Ministério Público, em conjunto com a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

No entanto, ainda não houve resposta da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre a aceitação ou não da solicitação feita pelo Cruzeiro e pelo MP. Segundo o promotor Paulo de Tarso, é aguardado o deferimento do pedido até esta sexta-feira (6).

Apesar do prazo de 10 dias previsto no Estatuto do Torcedor, o promotor do MP acredita que é possível que o jogo seja disputado com torcida única, com aval da entidade máxima do futebol brasileiro.

"Os prazos existem, mas a gente tem que considerar um bem maior. Todo o estatuto do torcedor é voltado para a segurança das pessoas. Existe a questão de prazos, afim de manter tranquilidade na venda de ingressos, mas existe outra muito superior, que é a segurança e a garantia da integridade física dos torcedores".

Caso o pedido não seja acatado em tempo útil pela CBF, o Ministério Público pretende levar a questão para a a justiça comum.

"Nos vamos tomar as medidas cabíveis para que isso aconteça. Pretendemos entrar com uma ação judicial para viabilizar o serviço das forças de segurança" declarou o promotor Paulo de Tarso.

Prevenção 

Segunda a delegada Fabíola Oliveira, da Polícia Civil, a corporação contará com uma unidade dentro no Mineirão, neste domingo. Além disso, torcedores com histórico de brigas estão sendo monitorados pela PC

"As pessoas que vem participando desses confortos já estão sendo monitoradas. A gente está buscando contê-las, para que esses confrontos não ocorram", declarou a delegada.

Histórico

As duas principais torcidas organizadas do Cruzeiro, Máfia Azul e Pavilhão Independente, vêm colecionando confrontos dentro e fora do Gigante da Pampulha. Discordantes sobre o atual momento vivido pelo clube, os dois grupos estão se enfrentando constamente desde a partida contra o Flamengo, no dia 21 de setembro, no Mineirão.

O último episódio de briga entre as duas organizadas ocorreu na BR - 040, enquanto membros das duas organizadas voltavam do Rio de Janeiro para Belo Horizonte, após a partida contra o Vasco da Gama.

(*) Com Hugo Lobão, sob supervisão de Gledson Leão. 

Leia também:
Dez anos depois, Cruzeiro vai para nova 'decisão' contra um novo Veron
Missão impossível? Cruzeiro se complica nas contas para evitar o rebaixamento inédito
Cazares volta a provocar Cruzeiro nas redes sociais; veja o vídeo