Após uma espera de quatro anos, Yoandy Leal Hidalgo enfim fez sua estreia com a camisa da seleção brasileira masculina de vôlei. E logo como titular. Com o cubano naturalizado brasileiro, o time nacional derrotou a Austrália por 3 sets a 2, com parciais de 32/34, 25/16, 25/19, 27/29 e 15/13, em Katowice, na Polônia. Foi o segundo jogo, e a segunda vitória, do Brasil nesta Liga das Nações.

"Me senti bem, estou muito feliz por poder fazer meu primeiro jogo com a seleção, com a camisa brasileira. Creio que demos um passo adiante, foi um jogo complicado, mas no final saímos com a vitória, o que é o mais importante", comemorou o ponteiro, que fez sucesso no Brasil com a camisa do Sada Cruzeiro.

Foi justamente as grandes performances pela equipe mineira que fizeram o cubano se naturalizar brasileiro em 2015, de olho numa vaga na seleção. Em 2017, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) fez o pedido formal à Federação Internacional de Vôlei (FIVB) para contar com o jogador naturalizado na equipe. Com o pedido aprovado, Leal precisou esperar uma espécie de quarentena de dois anos para poder estrear.

Feliz com a sua performance, Leal anotou 14 pontos. E se mostrou satisfeito também o desempenho do time. "No quarto set estava 12/4 e nós relaxamos demais. Entramos no jogo deles e isso é um erro. Temos que jogar sempre até o último ponto", disse o jogador nascido em Havana.

Antes da estreia, o cubano-brasileiro afirmou em entrevista ao Estado que estava preocupado com a recepção que teria no grupo. Alguns dos jogadores da seleção já haviam se manifestado contra a naturalização de estrangeiros para reforçar o grupo brasileiro. "Esse ainda é o segundo jogo da competição, que é muito longa e tenho certeza que vamos nos dar bem", declarou Leal.

Titular neste sábado, Leal atuou ao lado de Fernando, Wallace, Maurício Souza, Flávio, Douglas e do líbero Thales. Ao longo da partida, entraram na equipe Maique, Lucas Lóh, Alan e Thiaguinho.