O confronto direto entre Cruzeiro e Racing pela Copa Libertadores, às 21h30 desta terça-feira (22), será de emoções paradoxais para o meia-atacante Arrascaeta e a torcida celeste.

Se por um lado contará com um de seus jogadores mais decisivos nos últimos anos, por outro, a Raposa poderá ver pela última vez o armador em campo com o uniforme azul.

Pré-convocado para disputar a Copa do Mundo pela seleção do Uruguai, o camisa 10 está liberado para atuar no duelo no Mineirão. O embate vale a liderança do Grupo 5 e, consequentemente, a vantagem do mando no jogo da volta pelas oitavas de final do torneio.

Segundo as regras da Fifa, os atletas selecionados para o Mundial da Rússia só poderiam defender seus clubes até o último domingo, dia 20 de maio. A Conmebol, porém, interveio e teve o pedido atendido para a última rodada da principal competição sul-americana.

Após a partida, Arrascaeta se apresentará ao técnico Óscar Tabárez. Desta forma, desfalcará o Cruzeiro nos compromissos contra Santos, Palmeiras, Ceará, Vasco, Chapecoense e Paraná antes da pausa no Campeonato Brasileiro.

MERCADO

A pouca idade, o bom desempenho na Raposa e a presença no Mundial valorizam o uruguaio no mercado e alimentam as esperanças do clube em encher os cofres na janela de transferências, aberta até o fim de agosto nas principais ligas da Europa.

O meia de 23 anos está no radar de times como Monaco (França), Wolverhampton (Inglaterra) e Villareal (Espanha). E as possíveis atuações com a Celeste Olímpica na Rússia abririam ainda mais o leque de interessados.

Contratado em 2015 após boa campanha na Copa Libertadores do ano anterior pelo Defensor Sporting, o camisa 10 já é o estrangeiro com mais partidas realizadas pelo Cruzeiro e o terceiro maior artilheiro gringo na história do clube.

Na última temporada, ele teve participação efetiva na conquista da Copa do Brasil, tendo disputado dez dos 14 jogos e balançado as redes duas vezes (contra São Francisco-PA, na segunda fase, e Flamengo, no jogo de ida da final, no Maracanã).

Neste ano, foi fundamental também na conquista do Campeonato Mineiro, com um gol em cada um dos clássicos da decisão estadual contra o Atlético.