O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que um avião C-99 da Força Aérea Brasileira vai transportar para Medellín, na Colômbia, o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e pelo menos 12 familiares das vítimas do acidente com o avião que transportava a equipe da Chapecoense.

De acordo com o ministro, outros três aviões da FAB estão disponibilizados para atender a todas as necessidades. Um deles, um Hércules C-130, já está em Manaus aguardando autorização para decolar para a Colômbia para trazer para o Brasil os corpos das vítimas, assim que eles forem liberados pelas autoridades colombianas. O outros dois aviões, também da Aeronáutica, estão no Rio de Janeiro para serem utilizados em alguma outra operação que for solicitada.

De acordo com o ministro, o governo brasileiro disponibilizou ainda para as autoridades colombianas o seu pessoal do Cenipa (Centro Integrado de Investigação e Prevenção da Aeronáutica) para ajudar nas investigações, caso seja pedido. O governo brasileiro ofereceu também ajuda à Colômbia com as suas equipes do Para-Sar da FAB, que têm experiência em resgate de vítimas de acidentes aéreos.

As equipes só embarcarão para a Colômbia caso a ajuda seja solicitada. Pela legislação internacional, o Cenipa não participa das investigações do acidente aéreo porque o avião que caiu não é brasileiro e o acidente não ocorreu no Brasil. Apesar disso, a oferta de apoio foi feita.

Itamaraty

Funcionários da embaixada do Brasil em Bogotá e do Ministério das Relações Exteriores em Brasília estão a caminho de Medellín para "prestar toda a assistência necessária às vítimas e a seus familiares e de dar apoio ao traslado dos corpos ao Brasil", informou nesta terça-feira o Itamaraty, em nota. A equipe é chefiada pelo embaixador Julio Bitelli.

"O Ministério das Relações Exteriores manifesta seu profundo pesar pelo trágico acidente aéreo ocorrido na Colômbia, que vitimou jogadores, comissão técnica e dirigentes da Associação Chapecoense de Futebol, bem como jornalistas e tripulantes que acompanhavam a delegação", diz o texto.

"O Itamaraty soma-se às expressões de pesar aos familiares das vítimas e à população de Chapecó e faz votos de pronto restabelecimento aos sobreviventes."

O acidente aéreo aconteceu na madrugada desta terça (no horário de Brasília) quando o avião se aproximava de Medellín, cidade onde seria disputada o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, na noite de quarta. O voo partiu de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Ao menos 70 pessoas morreram na tragédia, entre jogadores da Chapecoense, jornalistas e membros da tripulação.