Mesmo reclamando de dores durante os treinos livres do GP da China, o piloto Fernando Alonso foi liberado pelos médicos para disputar a classificação de sábado (16) e a corrida de domingo, em Xangai. Nesta sexta-feira, ele participou normalmente dos treinos livres no traçado chinês.

Ao fim das duas sessões, o espanhol foi examinado pelos professores Jean-Charles Piette, chefe médico da F1, e Shiyi Chen, responsável pelo corpo médico do GP da China. "Como resultado do exame médico, os professores definiram que Fernando Alonso está em condições de participar de todas as sessões no restante do fim de semana", anunciou a Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Alonso, contudo, admitiu ter sentido dores durante as duas sessões desta sexta. "Eu me sinto bem hoje. Houve um pouco de dor, porque minha vértebra ainda não está totalmente curada desde a fratura, o que é normal. Mas a dor é totalmente administrável", disse o piloto.

Por essa razão, o corpo médico da FIA fez uma ressalva em seu comunicado. "Em caso de qualquer sintoma anormal, como aconteceu nesta manhã, o piloto foi informado de que deverá parar seu carro imediatamente [durante a sessão]", afirmou a Federação. "Mais nenhum exame será realizado, a não ser que o piloto volta a sentir dores."

De volta às pistas nesta sexta-feira, após ficar de fora do GP do Bahrein, em razão do grave acidente sofrido na Austrália, Alonso comemorou a chance de voltar à disputa. Foi o 12º mais rápido no primeiro treino e o 11º, no segundo. "Eu senti muita falta de pilotar o carro nestes últimos 26 dias", celebrou o espanhol.