O clássico entre Atlético e Cruzeiro é apenas na próxima semana, mas a rivalidade já foi vista em campo no duelo da Raposa contra o Villa Nova, neste domingo (20) no Mineirão. Ao marcar o segundo gol do Leão do Bonfim, o meia Mancini, ex-jogador do alvinegro, comemorou imitando as esporadas de um galo.

Quando o zagueiro Bruno Rodrigo, aos 44 minutos do segundo tempo, fez o gol que decretou a vitória celeste, o preparador de goleiros Robertinho, deu o troco e provocou o meia do time novalimense. Nervoso, Mancini foi para cima do cruzeirense e iniciou uma confusão no gramado do Gigante de Pampulha.

Pelo ato, o jogador do Villa levou o segundo cartão amarelo e acabou expulso de campo. Robertinho, que recebeu o vermelho, também deixou o jogo mais cedo.

Revoltados com a postura do árbitro Wanderson Alves, pela expulsão do camisa 10 e também pelo gol de Rafael Silva, supostamente impedido, dirigentes do Villa prometeram ir à Federação Mineira nesta segunda-feira (21), cobrar providências da entidade maior do futebol mineiro.

"Esse árbitro já tinha nos prejudicado em Uberlândia. Ele persegue o Mancini. Não estou aqui para chorar o leite derramado, mas vou à Federação Mineira pedir que ele não apite mais jogos do Villa", esbravejou o presidente do Leão, Nélio Aurélio.

É preciso que a Federação e a direção do Villa tome providências em relação a esse árbitro. Ele não tem condições de apitar no Campeonato Mineiro. O time lutou de igual para igual com o Cruzeiro, e continua firme no G-4", opinou Mancini.