O Campeonato Mineiro terá um novo líder esta noite, mas se a posição passar a ser ocupada pelo Uberlândia, que desafia o Cruzeiro, a partir das 20h30, no Mineirão, estará registrado um equilíbrio dificilmente visto na fase classificatória da competição nos últimos dez anos.

O empate por 1 a 1 com o América, no último domingo, no Independência, devolveu ao Atlético, de forma provisória, a primeira posição. Mas rendeu também mais uma das várias polêmicas de arbitragem que estão virando uma marca deste Estadual.

Equilibrado e polêmico, o torneio promete emoção até a última rodada, pois as três brigas que marcam as 11 primeiras rodadas dificilmente serão todas definidas com antecedência.

Na parte de cima da tabela, o Cruzeiro dá um passo importante para a classificação às semifinais se vencer o Uberlândia, pois chega aos 17 pontos. Nos últimos dez anos, a pontuação máxima para a classificação foi 22, em 2010. No ano passado, com 21 uma equipe se garantiu no G-4.

Isso indica que, se ganhar esta noite, com mais cinco pontos nos 12 que ainda disputará, o time de Deivid estará nas semifinais.

Em caso de empate ou vitória do Uberlândia, a diferença entre o primeiro e o sexto, que é o América, será de apenas quatro pontos, com vários confrontos diretos entre essas equipes ainda por acontecer.

Segundo os cálculos do site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da UFMG, 22 ou 23 pontos devem ser suficientes para se assegurar o primeiro lugar geral este ano. A vaga nas semifinais deve ser garantida com 18.

REBAIXAMENTO

Na briga para permanecer no Módulo I, reina o equilíbrio também, pois apenas dois pontos separam o lanterna Guarani da Caldense, que é oitava colocada.

Das últimas dez edições, em cinco delas oito pontos foram suficientes para se evitar a queda. Este ano, a coisa será diferente. Pelos cálculos da UFMG, a marca para evitar o rebaixamento deve ser 11 pontos.

ARBITRAGEM

Antes quase que restritos a jogos do Cruzeiro, que foi prejudicado e depois beneficiado por erros de arbitragem, a última rodada acabou marcada por muitas polêmicas.

O América reclama do pênalti a favor do Atlético, que decretou o empate por 1 a 1 entre eles, domingo passado, no Horto.

A situação mais forte envolve o Tricordiano, que após a derrota de 1 a 0 para a URT, em Patos de Minas, falou em manipulação de resultados e abandono da competição, o que não deve acontecer.

O clube, que disputa pela primeira vez o Módulo I, tem uma reunião de diretoria nesta terça (15), mas diante da multa de R$ 100 mil e da volta ao Módulo II em caso de abandono, a tendência é pelo recuo.