Após brilhar no início com a camisa do Flamengo, o peruano Paolo Guerrero experimenta as primeiras cobranças da torcida. O atacante rubro-negro falou sobre a fase da equipe -são três derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro- e pediu calma aos torcedores. O camisa 9 revelou surpresa com a pressão que o time encara atualmente.
 
"Não sou salvador do Flamengo. Não sou Superman", afirmou Guerrero, que rebateu as cobranças.
 
"Quanto mais pressão, melhor para mim. Acho estranho porque estou há dois meses e já está assim. O Flamengo está na posição 7. Estávamos muito baixo quando cheguei. O torcedor tem de ter calma. As pessoas da imprensa, não ouvi. Eles querem fazer notícia, o problema é que não escuto. Isso é o futebol. Estou me entrosando também. Chegou um novo treinador, que possui uma nova ideia, um novo sistema tático. Isso acontece em todos os times", se defendeu.
 
As críticas diretas da torcida em relação ao futebol apresentado foram relevadas pela principal contratação da temporada. "O torcedor sempre vai ter o desejo de que o jogador brilhe. Precisa brilhar logo no primeiro jogo. Acontece com qualquer um. Vou fazer o meu trabalho para o Flamengo melhorar", disse.
 
De volta após a lesão no tornozelo direito, o atacante participou das últimas duas derrotas do Flamengo e revelou ter realizado infiltração para poder atuar. "Infelizmente tive essa lesão. Mas estou me esforçando. Antes do Atlético-MG, por exemplo, treinei só no sábado e entrei em campo. Mas já estou melhor e pegando ritmo. No clássico contra o Vasco doeu muito. Espero que melhore. Se não terei de tomar outra infiltração", encerrou.