A Pirelli revelou nesta segunda-feira (31) que finalizou a investigação sobre as causas do estouro do pneu de Sebastian Vettel nas voltas finais do GP da Bélgica, no dia 23. As conclusões, no entanto, só serão anunciadas publicamente no fim de semana, durante o GP da Itália, "casa" da fornecedora de pneus da Fórmula 1.

"Nós terminamos a investigação sobre o pneu de Vettel em Spa. Conclusões detalhadas sobre a análise técnica serão apresentadas em Monza", declarou o diretor esportivo da Pirelli, Paul Hembery, sem dar qualquer pista sobre as causas do incidente.

O estouro do pneu causou polêmica na F1 porque Vettel ocupava o terceiro lugar na penúltima volta da prova e parecia certa sua vaga no pódio - acabou finalizando somente em 12º. Além disso, o incidente poderia ter colocado a vida do alemão em risco caso o pneu tivesse estourado poucos metros antes, na perigosa curva Eau Rouge.

Ao fim da prova, o piloto da Ferrari culpou a Pirelli pelo incidente. Segundo Vettel, a fornecedora teria garantido que os pneus poderiam durar todas as 40 voltas da prova. A empresa italiana, porém, negou que tenha passado qualquer informação às equipes sobre eventuais metas e durabilidade dos compostos e afirmou que a Ferrari foi imprudente ao percorrer 28 voltas com o mesmo pneu.

A Pirelli alegou ainda que há dois anos solicitou que a Fórmula 1 adotasse um limite de voltas para cada conjunto de pneus. Assim, cada equipe saberia de antemão quanto poderia render cada composto em cada GP da temporada. Os times, contudo, rejeitaram a proposta.