O acidente entre o espanhol Fernando Alonso e o finlandês Kimi Raikkonen no GP da Áustria deve trazer mais consequências ruins ao piloto da McLaren. Nesta terça-feira (30) a equipe revelou que deve ser forçada a trocar mais uma vez o motor do carro do piloto espanhol, após a Honda identificar danos provocados pela batida com o piloto da Ferrari.

Caso isso seja mesmo necessário, a única opção que pode impedir Alonso de ser punido é o uso de uma outra unidade já utilizada durante a atual temporada da Fórmula 1, pois a McLaren e a Honda já estouraram o limite de novos motores, mesmo que o campeonato de 2015 ainda esteja bem longe do fim.

Além de Alonso, a McLaren também revelou que o motor do inglês Jenson Button, seu companheiro de equipe, também sofreu avarias e pode ser trocado para o GP da Inglaterra, que será disputado no próximo fim de semana, após ter uma falha de sensor na Áustria. Mas a preocupação maior é mesmo em relação ao propulsor do carro do piloto espanhol.

"Nós completamos as checagens de ambas as unidades de potência na fábrica, e acreditamos que o motor de Fernando tenha sofrido danos pelo acidente", disse Yasuhisa Arai, diretor de competições da Honda. "Pode ser necessário mudar o motor. Quanto à unidade de potência de Jenson neste fim de semana, a questão ainda está sob investigação", acrescentou.

"A Honda não está pensando em colocar todas as atualizações de hardware para o GP da Inglaterra, mas vamos otimizar o motor com componentes aerodinâmicos atualizados para o chassi", concluiu Arai.

Após ver os seus dois pilotos abandonarem o GP da Áustria, a McLaren celebrou o desempenho nos testes no Red Bull Ring nos dias seguintes, quando treinou por 800 quilômetros sem grandes problemas. A equipe, porém, segue tendo dificuldades para ser competitiva, tanto que só pontuou uma vez nesta temporada.