“Ano que vem, a Libertadores promete”. Essa é a frase mais comentada por atleticanos e cruzeirenses nas ruas. Pela primeira vez na história, os rivais mineiros vão participar de uma mesma edição da competição mais importante da América, que terá início no dia 29 de janeiro e término em 13 de agosto.

Hoje, a partir das 22h, no centro de convenções da Conmebol, em Luque, no Paraguai, Galo e Raposa saberão qual caminho irão percorrer na luta pelo sonhado título. Ontem, uma lista contendo os cabeças de chave da competição foi divulgada, mas não é confirmada pela entidade. Nela, do Brasil, apenas a dupla mineira seria líder em seus grupos, juntamente com Vélez Sarsfield (ARG), Newell’s Old Boys (ARG), Bolívar (BOL), Unión Española (CHI), Cerro Porteño (PAR) e Peñarol (URU).

A Conmebol afirma que os cabeças de chave só serão anunciados no momento do sorteio e que, até lá, “podem haver mudanças”. Se mantiver o que foi previsto, um possível embate entre Atlético e Cruzeiro pode ocorrer já a partir das oitavas de final.

Atual campeão, o alvinegro caminha para a sexta participação no torneio, em busca do bicampeonato. No sorteio, será representado pelo presidente, Alexandre Kalil, o vice, Daniel Nepomuceno, e o diretor de Planejamento, Rodolfo Gropen.
Já o clube estrelado, que assegurou a vaga com o título de campeão brasileiro, volta a disputar a competição depois de duas temporadas de ausência. A equipe é a quarta do Brasil com mais presença na Libertadores: são 13 participações, tendo conquistado as edições de 1976 e 1997, além dos vice-campeonatos de 1977 e 2009.

Acompanham a solenidade o diretor de Futebol, Alexandre Matos, o gerente de Futebol, Valdir Barbosa, e o supervisor Benecy Queiroz.

Vagas

Além de Atlético e Cruzeiro, o Brasil tem como representantes Grêmio, vice-campeão brasileiro, e Flamengo, campeão da Copa do Brasil. Ambos estão confirmados na fase de grupos. O Atlético-PR, terceiro no Brasileirão, disputa a chamada pré-Libertadores, assim como o time brasileiro que conquistar a última vaga disponível para o país.

Ao todo, a competição continental terá a participação de 38 equipes. Entre elas, 26 entram de forma direta na fase de grupos, enquanto 12 passam pela pré-Libertadores, que assegura outras seis vagas. No geral, três lugares estão em aberto, para Argentina, Chile e Bolívia.

Na Terra do Tango, o último representante será conhecido no sábado, quando acontece os dois últimos jogos do torneio Clausura. Quatro times disputam o título: Vélez, San Lorenzo, Newell’s e Lanús. Desses, apenas o San Lorenzo, atual líder, ainda não tem vaga garantida na Libertadores. Caso não fique com a taça, o River Plate, segundo melhor do país na Sul-Americana, seria beneficiado.