Os comitês olímpicos nacionais de Grécia e Sérvia negaram, nesta segunda-feira, as denúncias feitas pelo jornal britânico Sunday Times de que estariam negociando no mercado negro ingressos para os Jogos Olímpicos de Londres.

O Comitê Olímpico Internacional (COI), porém, irá investigar o caso, que envolveria outros Comitês Olímpicos Nacionais (NOC, na sigla em inglês). Estes, de acordo com o jornal britânico, estariam comercializando os ingressos com um ágil de até 1.000%.

O principal envolvido nas denúncias é o presidente do Comitê Olímpico Grego, Spyros Capralos, que foi também o presidente do comitê que organizou os Jogos de Atenas, em 2004. Ele foi flagrado por repórteres disfarçados do Sunday Times negociando ingressos extras.

Em nota, o comitê grego afirmou que a história "falsa e enganosa" e que as declarações de Capralos foram apresentadas de forma enganosa e fragmentada, descontinuada. Já o secretário-geral do Comitê Olímpico Sérvio, Djordje Visacki, alegou que os organismos nacionais não estão a cargo dos bilhetes.