A sessão da manhã desta quinta-feira (23) da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid foi marcada por gritos e ofensas entre os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), relator da cúpula, e Jorginho Mello (PL-SC). 

A confusão começou quando Jorginho interrompeu a fala de Renan para defender o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Renan não gostou de ser interrompido e o clima esquentou.

Os ânimos ficaram ainda mais acalorados quando Calheiros criticou o empresário Luciano Hang, proprietário da Havan. Mello afirmou que o relator devia "lavar a boca" para falar de Hang. Foi quando Calheiros respondeu: "vai lavar a tua (boca), vagabundo".

Jorginho chamou, então, Calheiros de "picareta" e "ladrão".

O relator decidiu descer da mesa para o plenário da comissão e foi contido pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Jorginho Mello foi segurado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE).

Diante do ocorrido, a CPI marcou para a próxima quarta (29) o depoimento do empresário Luciano Hang.

Leia mais:
STF: diretórios de partidos respondem individualmente por dívidas
CPI da Covid ouve diretor da Prevent Senior, acusada de ocultar mortes em estudo sobre cloroquina
ANS realiza diligência na Prevent Senior