O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, novamente, a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). Conforme o mandado emitido nesta quinta-feira (24), o deputado deverá ficar preso no Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro. 

A nova prisão foi determinada por Moraes em função de 30 violações da tornozeleira eletrônica, a maioria por falta de bateria e uma por rompimento.  
 

Deputado federal Daniel Silveira

Durante o julgamento da questão, a defesa reconheceu excessos nas declarações de Silveira, mas não concordou com utilização da Lei de Segurança Nacional para basear parte das acusações

Em fevereiro, Silveira foi preso pela primeira vez por determinação do STF, mas ganhou o direito de cumprir prisão domiciliar. O deputado é réu na Corte em um processo no qual é acusado de agressões verbais e ameaças aos ministros.

Na denúncia aceita pelo STF, Silveira foi acusado pela PGR de incitar o emprego de violência para tentar impedir o livre exercício das atividades do Legislativo e do Judiciário e a animosidade entre as Forças Armadas e a Corte, por meio de vídeos publicados em suas redes sociais.

Durante o julgamento da questão, a defesa reconheceu excessos nas declarações de Silveira, mas não concordou com utilização da Lei de Segurança Nacional para basear parte das acusações.

Leia mais:
Bolsonaro critica denúncias de irregularidades na compra de 20 milhões de doses da Covaxin
Prefeitos de cidades mineradoras também cobram quinhão dos R$ 11 bi da Vale