Conservador, de direita e a favor da liberdade econômica. Esse é o perfil de Nikolas Ferreira, segundo vereador mais votado da história de Belo Horizonte. Evangélico e coordenador de um movimento intitulado Direita Minas, Ferreira tem 24 anos e obteve 29.388 votos nas eleições municipais deste ano.

Sem tempo no horário eleitoral em rádio e televisão, concentrou a campanha nas redes sociais. Ele diz que a vitória nesse domingo (15) foi um êxito "coletivo". “Ninguém faz nada sozinho. Foi construída há muito tempo, feita de forma limpa, e veio para ser uma representação do conservadorismo em Belo Horizonte”, afirma.

Estreante na Câmara Municipal, Nikolas se classifica também como representante "do bolsonarismo” e diz que vai se posicionar de forma contrária a qualquer pauta progressista que for defendida no parlamento.

“Tudo o que vier da esquerda, serei contra. Precisamos dar um basta nesta tirania da esquerda, de ficar ditando como devemos pensar, como devemos agir”, destaca o futuro vereador

Nikolas Ferreira também falou sobre a vereadora mais votada da eleição na metrópole, a professora Duda Salabert (PDT) – que recebeu 37.613 votos e se tornou a primeira mulher trans eleita em BH. Fez questão de referir-se à futura colega de parlamento com o uso do gênero masculino.

“Não vou me submeter à vontade dele. Não sou contra a ‘opção sexual’ ou ‘orientação de gênero’ dele. Mas a esquerda tem que parar com essa história de dividir as pessoas, de fazer do parlamento um puxadinho das minorias”, afirmou o vereador.