A presidente Dilma Rousseff escolheu nesta quinta-feira (23) o advogado constitucionalista Luis Roberto Barroso para a vaga deixada por Carlos Ayres Britto no Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão foi tomada nesta tarde, depois de reunião no Palácio do Planalto entre Dilma e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. O anúncio será feito oficialmente pelo ministro ainda hoje. Dilma deixou a nomeação assinada antes de viajar para a África. 
 
A cadeira de Britto estava vaga havia seis meses. Foi um dos mais longos hiatos da história recente da corte. Apenas a nomeação de Luiz Fux, em março de 2011, demorou mais, porque o ex-presidente Lula deixou para Dilma a prerrogativa de escolher o sucessor de Eros Grau, que se aposentara em agosto de 2010. 
 
A presidente cercou o processo de escolha de cuidados com sigilo e se irritou várias vezes ao longo dos meses com o vazamento de notícias sobre candidatos com os quais se reuniu. 
 
Luis Roberto Barroso vinha sendo incluído na lista de cotados para o STF há vários anos, pelo fato de ser um dos mais conceituados advogados constitucionalistas do país. 
 
Atuou em julgamentos históricos do Supremo, como o que permitiu pesquisas com células-tronco embrionárias e o que decidiu que o terrorista Cesare Battisti não seria extraditado. Seu nome contava com a simpatia de vários ministros do STF e do ex-ocupante da cadeira, Ayres Britto.