A alta demanda de oxigênio líquido, utilizado em ventiladores e respiradores pulmonares em casos graves Covid-19, pode ser a responsável pela escassez de combustível para foguetes espaciais nos Estados Unidos. A afirmação foi feita pela presidente da SpaceX, a americana Gwynne Shotwell, durante o 36º Simpósio Espacial, realizado na quarta-feira (25) em Colorado, nos Estados Unidos.

Segundo a executiva, futuros lançamentos da SpaceX (companhia fundada pelo bilionário Elon Musk) podem estar comprometidos, já que a base do combustível dos foguetes é o oxigênio líquido.

Com o aumento do número de casos de Covid-19, o ritmo de produção industrial não tem conseguido acompanhar a demanda.

“Certamente vamos garantir que os hospitais tenham o oxigênio líquido de que precisam, mas quem tiver [a substância] para compartilhar, mande-me um email”, brincou Shotwell.

A presidente da SpaceX não especificou quais lançamentos foram adiados pela falta do combustível, mas a empresa informou em comunicado que satélites de internet Starlink, projeto que reúne uma rede privada de satélites de baixo custo que ampliam as redes de comunicação em todo o mundo, não foram mais lançados desde 30 de junho.

Os motores da SpaceX, em especial o modelo mais avançado, o Raptor, são todos movidos a combustão por oxigênio líquido.

*Com Agência Brasil

Leia Mais:
Três mil casos da Covid-19 são registrados em 24h em Minas; total passa de 2 milhões
BH precisa de 444 mil doses para vacinar adolescentes e idosos