O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, aumentou a vantagem na contagem de votos para o opositor Donald Trump no Estado da Geórgia. De acordo com a projeção feita pela Associated Press, Biden tem agora 7,2 mil votos a mais que o adversário, com 99% dos votos apurados. Até aqui, o candidato democrata soma 2.461.455 votos (49,95%); Trump tem 2.454.207 (49,31%) e Jo Jorgensen, do partido Libertário, está em terceiro na apuração, com 61.792 (1,24%). O vencedor da disputa na Geórgia leva 16 delegados no Colégio Eleitoral e a vitória é fundamental para definir o novo presidente do país. Nessa sexta-feira (6), a autoridade eleitoral do Estado já confirmou que uma recontagem dos votos será realizada. De acordo com o secretário de Estado da Géogia, Brad Raffernsperger, o procedimento será adotado devido à estreita margem entre os candidatos. 

A apuração ainda continua em outros quatro estados: Pensilvânia, Nevada, Carolina do Norte e Alasca. Na Pensilvânia, um dos estados considerados chave e que dá ao vencedor da disputa 20 votos no colégio eleitoral, Biden tem 2.461.455 (49,45%) e tem 28.877 votos de frente para Trump, que tem 2.454.207 (49,31%). Até aqui, 99% dos votos foram apurados no Estado. Em Nevada, o democrata segue na dianteira com 22.657 votos a mais que o republicano, com 87% das urnas apuradas. Trump tem vantagem na Carolina do Norte – com 76.479 votos a mais que Biden, com 99% da apuração – e no Alaska, onde segue na dianteira com 54.610 votos a mais, com metade das urnas apuradas.

Manifestantes pró-Trump armados vão às ruas do Arizona

Neste sábado (7), manifestantes pró-Trump intensificaram protestos no condado de Maricopa, no Arizona. Por lá, Biden lidera a corrida presidencial com vantagem de 1,4% sobre o atual presidente, com 93% dos votos contados. As manifestações estão concentradas no entorno do departamento eleitoral do condado onde manifestantes, armados até com fuzis, a favor de Trump entoam gritos como “1776!” – em alusão ao ano da Revolução Americana – “Pelosi burn in hell! (“Pelosi, queime no inferno”) – atacando a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi. O Arizona é um dos estados americanos onde é permitido que cidadãos andem armados pelas ruas.