OTTAWA - Autoridades sanitárias do Canadá anunciaram nesta quarta-feira (8) a primeira morte por gripe das aves H5N1 na América do Norte. Segundo o governo, a vítima seria uma moradora da província de Alberta (oeste) que tinha voltado da China no final de dezembro.
 
"Estou aqui para confirmar o primeiro caso humano na América do Norte da cepa H5N1, também conhecida como gripe das aves", disse a ministra da Saúde do Canadá, Rona Ambrose, em entrevista coletiva na qual confirmou a morte da paciente.
 
A morte desta mulher, moradora da província de Alberta (oeste do Canadá), é "um caso isolado", avaliou Ambrose, descartando que o risco para o resto da população é "extremadamente baixo", já que não há casos conhecidos de transmissão do vírus de pessoa a pessoa.
 
A vítima da gripe H5N1 tinha começado a apresentar os sintomas da doença no voo da Air Canada que fazia o trajeto entre Pequim e Vancouver em 27 de dezembro. Ela prosseguiu com a viagem em outro voo com destino a Edmonton, Alberta. Sua saúde deteriorou-se rapidamente com febre e dores de cabeça e, por isso, ela foi hospitalizada, onde morreu em 3 de janeiro, disse o encarregado de Saúde de Alberta, James Talbot. 
 
Seiscentos de cinquenta casos de gripe das aves foram registrados em 15 países nos últimos dez anos, com uma taxa de mortalidade de 60%, destacou.
 
As autoridades chinesas, assim como a Organização Mundial da Saúde (OMS), foram informadas da morte, disseram funcionários canadenses.
 
Todas as pessoas que viajaram em 27 de dezembro nos voos da Air Canada 030 (Pequim-Vancouver) e 244 (Vancouver-Edmonton) estão sendo identificadas para um acompanhamento médico preventivo.