O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) cresceu em 29 dos 30 setores industriais avaliados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A única queda ocorreu em Outros equipamentos de transporte (-1,1 ponto), que, mesmo assim, continua acima da linha de corte de 50 pontos.

De acordo com o levantamento divulgado nesta segunda-feira (28) pela CNI, os setores com as maiores altas de confiança foram: máquinas e materiais elétricos (7,9 pontos), móveis (6,6 pontos) e produtos de madeira (6,4 pontos). Os setores menos confiantes são serviços especializados para a construção (55,8), obras de infraestrutura (57), produtos de limpeza, perfumaria e higiene pessoal (57), calçados e suas partes (57,3) e outros equipamentos de transporte (57,6).
 

industria

Valores acima de 50 pontos indicam confiança do empresário e quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada é a confiança

O Icei varia de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam confiança do empresário e quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada é a confiança. Valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário e quanto mais abaixo de 50 pontos, maior e mais disseminada é a falta de confiança.

“Essa consolidação de uma confiança mais alta, disseminada por toda a indústria, é importante, pois aponta para um segundo semestre positivo. Empresários confiantes tendem a produzir, contratar e investir mais”, explica o gerente de Análise Econômica, Marcelo Azevedo.

Foram pesquisadas em todo o país 2.397 empresas, sendo 943 de pequeno porte, 870 de médio porte e 584 de grande porte. O período de coleta foi de 1º a 14 de junho de 2021.

Leia mais:
Pandemia ainda provoca impactos no mercado de trabalho, diz Ipea
Bolsonaro diz que safra brasileira deve ultrapassar 300 milhões de toneladas