A quarta-feira de cinzas (26) marca o início do período religioso da Quaresma para os católicos, que costumam diminuir o consumo de carne vermelha nesta época do ano, substituindo-a por outros alimentos, como peixes. Em Belo Horizonte, pesquisa do portal especializado em preços Mercado Mineiro mostra que o valor cobrado pelos pescados varia, atualmente, quase 170%, dependendo do produto.

O salmão, um dos peixes mais consumidos na Quaresma, é o que mais tem diferença de preços entre o mais barato e o mais caro. Em média, o preço do quilo custa R$ 53,13, mas estabelecimentos mais em conta na cidade cobram R$ 29,90, enquanto o valor mais alto é de R$ 79,99. A variação é de 167,53%.

Outro peixe muito consumido, o bacalhau, tem variações menores, porém, com uma pesquisa de preço é possível comprar o quilo em valores mais acessíveis. A pesquisa mostra que o Saithe está variando de R$ 39,90 a R$ 65, enquanto o Porto Imperial varia de R$ 75,90 a R$ 149. A variação menor de preço, porém, é do tipo Cod, que custa entre R$ 79,80 e R$ 99,90, uma diferença de R$ 25,19%.

O Mercado Mineiro também coletou com os comerciantes o preço do quilo do camarão. Os três tipos e tamanhos pesquisados mostram que o consumidor pode comprar o produto pelo dobro do preço, a depender do local. O camarão sete barbas pequeno varia de R$ 23,90 a R$ 49,90, enquanto o sete barbas grande varia entre R$ 32,90 e R$ 78. Já o camarão rosa limpo médio custa entre R$ 55,90 e R$ 141,50.

Nos anos anteriores, a pesquisa indicava também a variação no preço da dúzia de ovos brancos e ovos vermelhos, mas os dados deste ano não foram disponibilizados pelo instituto.

Escalada

A tendência de aumento dos preços dos substitutos da carne vermelha na Quaresma não começou esta semana. Desde o início de fevereiro, a alta do dólar tem jogado para o alto o valor cobrado pelo bacalhau, por exemplo.

O camarão rosa limpo, por sua vez, é o que mais aumentou de valor. Em relação a fevereiro de 2019, subiu de R$ 90,09, em média, para R$ 106,46.

O diretor do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, orienta o consumidor a ficar atento não só às mudanças entre um estabelecimento e outro, mas também aos dados de pesquisas anteriores, para notar se os aumentos não estão sendo acima do que é normal para o período.

“Essa comparação entre períodos curtos é importante para evitar abusos diante do aumento da procura. O preço médio do camarão rosa agora está em R$ 107, muito pouco acima do que estava no início do mês", afirmou.

Para fugir de pagar caro demais, Abreu orienta o consumidor a ficar de olho em promoções que os estabelecimentos podem fazer neste período, de demanda e oferta alta. "Supermercados têm muita gente comprando, mas fazem também estoques dos produtos. Por isso, costumam fazer promoções", comentou.

A pesquisa completa está disponível na página do Mercado Mineiro na internet.

Leia Mais:
Quarta-feira de Cinzas dá início à Quaresma; confira programação das igrejas católicas
Preço da carne cai para o consumidor, diz Ministério da Agricultura
Brasileiros acreditam que inflação ficará em 5% nos próximos 12 meses