Motoristas nas cidades dos Emirados Árabes de Dubai e Abu Dabi não devem mais contar com o preço abaixo do mercado para abastecer, após o país, um membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), revelar nesta quarta-feira planos para acabar com os controles existentes sobre os combustíveis.

A medida surpreendente foi anunciada pelo Ministério de Energia. Os Emirados Árabes, segunda maior economia árabe do mundo, estão tendo de lidar com a queda nos preços do petróleo ao longo do último ano.

Autoridades planejam começar a vincular os preços dos combustíveis aos preços globais até 1º de agosto. Os preços da gasolina são atualmente estabelecidos pelo governo com subsídios, com o litro da gasolina comum sendo vendida pelo equivalente a US$ 0,47.

Ainda assim, autoridades terão um papel para estabelecer os preços. Um comitê irá se reunir mensalmente para definir os preços para o mês seguinte, usando os preços médios internacionais como parâmetro. O ministro da Energia, Suhail al-Mazroui, disse que a mudança busca fortalecer a economia do país e pode ajudar a impulsionar a redução no consumo de combustíveis, ao encorajar o uso do transporte público.

Recentemente, o Fundo Monetário Internacional (FMI) estimou que governos iriam oferecer US$ 5,3 trilhões em subsídios à energia pelo mundo neste ano. Fonte: Associated Press.