O Rodoanel Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que será construído e operado por meio de Parceria Público-Privada, terá tarifa de pedágio de R$ 3 a R$ 7, segundo apurou o Hoje em Dia. O valor cobrado será proporcional à quilometragem percorrida pelo usuário.

Serão 67,5 quilômetros de pista concedida à iniciativa privada, interligando oito municípios: Sabará, Santa Luzia, Vespasiano, São José da Lapa, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Contagem e Betim. A tarifa máxima de R$ 7 corresponde a R$ 1 para cada 9,6 quilômetros percorridos, valor bem acima da média de R$ 1 por 42,2 quilômetros cobrados na Fernão Dias ou de R$ 1 para cada 14 quilômetros na MG-050, por exemplo.

Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) não confirmou a tarifa e informou que o valor ainda depende de consultas públicas que estão em andamento. A previsão é a de que o edital de concessão seja publicado em janeiro de 2014.

Investimento

Conforme o governo de Minas, serão aportados R$ 3,2 bilhões pelo parceiro e R$ 836 milhões do setor público (aproximadamente R$ 200 milhões por ano a partir do início das obras) na construção do Rodoanel Norte. O total investido para desafogar o trânsito, principalmente no Anel Rodoviário e na Via Expressa, será de R$ 4,05 bilhões.

O projeto passou pelo Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), e duas empresas sinalizaram a intenção de participar do projeto de estruturação da PPP. São elas: Norberto Odebrecht e o Grupo InvestPar.

A PPP está em consulta pública, iniciada 26 de junho, com duração de 30 dias. Após a entrega das contribuições, a Setop e a Unidade PPP do Estado deverão realizar uma audiência pública para definir os parâmetros para o edital de licitação.

A rodovia terá pista dupla, com duas faixas de tráfego de 3,6 metros por sentido, faixa de segurança de 1,20 metro e acostamento de três metros. A previsão é de 22 travessias em passagens superiores ou inferiores, além de três túneis com extensão total de 2.900 metros.