O volume de recursos de capital próprio e dívida para financiamento de projetos chegou a R$ 58,9 bilhões em 2012, de acordo com levantamento da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O montante é o mais alto da série histórica, iniciada em 2007 e equivale a mais que o dobro do realizado em 2011.

A Anbima destacou que o montante foi puxado sobretudo pelo aumento de projetos ligados ao setor de energia. O setor respondeu por 80,3% dos financiamentos realizados. Apenas a usina hidrelétrica de Belo Monte foi responsável por R$ 29,4 bilhões.

O levantamento ainda destaca os investimentos estimados em concessões, que somaram R$ 26,4 bilhões em 2012, mais de três vezes o volume de 2011 (R$ 7,6 bilhões). Desse total, 52,4% são de concessões ligadas aos eventos esportivos que serão realizados no Brasil nos próximos anos. Entre os R$ 13,8 bilhões das concessões ligadas à Copa do Mundo e às Olimpíadas, destacaram-se as operações relacionadas ao setor de transportes (Aeroportos de Guarulhos e de Viracopos), que movimentaram R$ 10,9 bilhões.

Houve maior utilização de empréstimos ponte (bridge loans) no ano. Entre 2011 e 2012 o volume desses financiamentos, de prazos mais curtos, subiu de R$ 2,0 bilhões, para R$ 7,7 bilhões (23 projetos). Estas operações foram mais recorrentes no setor de transporte e logística, com 18 empréstimos ponte e volume de R$ 5,9 bilhões.

No segmento de dívida, a Anbima destaca a emissão de debêntures com isenção fiscal para pessoas físicas, com dois dos projetos de 2012: Linhas de Transmissão Montes Claros e a Concessionária Auto Raposo Tavares. Esta última teve volume de R$ 380 milhões de financiamento.

Ao longo de 2013, novos projetos devem ser financiados com debêntures incentivadas. Dos 30 projetos já aprovados por portarias ministeriais, 25 ainda não geraram operações de mercado de capitais, aponta o levantamento.