O ministro das Relações Exteriores, Carlos França, defendeu, nesta quinta-feira (5), a transferência de tecnologias a países em desenvolvimento, visando à fabricação local de vacinas. Segundo o ministro, a falta de acesso a vacinas contra a Covid-19 representa risco para todos os países.

Carlos França fez a afirmação, por meio de videoconferência, durante o Fórum Internacional sobre Cooperação em Vacinas contra Covid-19. “Os países menos desenvolvidos estão sofrendo com a falta de acesso às vacinas existentes, com consequências perigosas em todo o mundo”, disse o chanceler brasileiro, ao apontar como prioridade de sua pasta o comprometimento com o acesso “igualitário e acessível” a vacinas seguras, eficazes e de qualidade.

Carlos França

O ministro reiterou que o Brasil tem trabalhado para consolidar uma estrutura internacional que incentive a produção e distribuição local de vacinas, insumos farmacêuticos ativos e outros produtos para a saúde

“Esta pandemia também mostrou que a promoção da produção local e os mecanismos de transferência de tecnologia são essenciais para fortalecer e garantir sistemas nacionais de saúde sustentáveis”, disse o ministro, ao afirmar que a escassez global de vacinas resulta de limitações na capacidade de fabricação e de gargalos na cadeia de abastecimento global.

O ministro reiterou que o Brasil tem trabalhado para consolidar uma estrutura internacional que incentive a produção e distribuição local de vacinas, insumos farmacêuticos ativos e outros produtos para a saúde. “Instamos todos os países a fazerem o seu melhor para facilitar a transferência de tecnologia para os países em desenvolvimento, o que é de interesse estratégico para promover a saúde global”, completou França.

Leia mais:
Butantan recebe matéria-prima para 8 milhões de doses da vacina contra Covid
Brasil confirma 559.607 mortes por Covid-19