O belo-horizontino Nélio José Nicolai, que ficou famoso por inventar o Bina (sistema identificador de chamadas por telefone), morreu na última quarta-feira (11), aos 77 anos, em Brasília, onde morava. Pai de quatro filhos e avô de dois netos, o mineiro estudou engenharia eletrotécnica no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) da capital mineira. O corpo do engenheiro foi enterrado nesta quinta-feira (12).

Nélio se recuperava de um acidente vascular-cerebral (AVC), sofrido há cerca de cinco meses e, nos últimos dias, teve complicações nos pulmões.

O inventor nunca recebeu um centavo sequer da invenção que atualmente está na palma da mão de todos que utilizam aparelhos de telefonia celular. Nélio fez o pedido de patente do Bina junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Brasil) em 7 de julho de 1992, mas só conseguiu o registro cinco anos depois, em 1997, quando o Brasil começava a montar a rede de telefonia celular.

No entanto, apesar de cobrar das empresas de telefonia, teve que brigar na Justiça para receber os direitos de propriedade, que até hoje nunca foram pagos. Segundo o Wikipedia, em 2003 a Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendeu liminarmente os efeitos da patente. A decisão notou evidências de que a tecnologia descrita na patente copiava invenções anteriores e não preenchia os requisitos legais. A decisão segue em vigor até hoje, já tendo sido confirmada cerca de 10 (dez) vezes por quatro juízes diferentes e pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região.