RIO DE JANEIRO – O temporal que atingiu o município do Rio de Janeiro nesta segunda-feira (6) ocasionou a queda na transmissão de energia em diversos pontos da cidade e deixou 53 escolas fechadas e outras nove tiveram funcionamento parcial, segundo informações da Secretaria Municipal de Educação. As rajadas de vento, que atingiram 93 quilômetros por hora, provocaram transtornos no trânsito, mau funcionamento de sinais, interdições nas vias públicas e a morte de um motorista de van devido à queda de uma árvore.

Em nota, a Light, concessionária responsável pela distribuição de energia no Rio, disse que normalizou o fornecimento de luz em alguns trechos dos seguintes bairros: Campo Grande, Bangu, Jacarepaguá, Barra da Tijuca, Jardim Botânico, Gávea, Laranjeiras, Botafogo, Tijuca, Méier, Pavuna, Irajá, Guadalupe, Olaria e Penha. A energia foi restabelecida ainda em trechos de bairros dos municípios de Nova Iguaçu, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita, Queimados e Duque de Caxias.

Segundo a concessionária, houve aumento no número de equipes de emergência fazendo serviços nos bairros com ocorrências. “ Técnicos continuam trabalhando de forma ininterrupta nessas localidades para restabelecer totalmente a energia o mais rápido possível. Para restabelecer o fornecimento, é necessário um trabalho complexo de isolamento da área afetada, retirada de objetos sobre a fiação e reconstituição da rede elétrica”, informou a Light.

De acordo com o Centro de Operações da prefeitura, o município retornou ao estágio de vigilância a partir das 14h05 devido ao afastamento da parte mais ativa da frente fria que atuava sobre a cidade. O estágio de vigilância representa o primeiro de uma escala de quatro níveis , com ausência de chuva ou previsão de chuva fraca nas próximas horas. O município entrou em estágio de atenção (segundo nível) às 6h05, que significa a possibilidade de chuva moderada e ocasionalmente forte nas próximas horas. Os dois níveis restantes são estágio de alerta (terceiro nível) e de alerta máximo (quarto nível).

Voo

Os aeroportos Santos Dumont, no centro, e Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, zona norte, operaram com auxílio de instrumentos. A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) informou que 99 árvores caíram em toda a cidade, congestionando ainda mais o trânsito na hora da ida para o trabalho.

Na Barra da Tijuca, zona oeste, duas das três faixas da Avenida Ayrton Senna, na pista sentido Linha Amarela, na altura da Gardênia Azul, foram interrompidas ao tráfego devido à queda de uma árvore. Na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, uma das principais vias de ligação da zona oeste com a zona norte, duas árvores caíram na pista sentido Jacarepaguá (zona oeste). Outra árvore caiu no Boulevard Vinte e Oito de Setembro, na altura da Rua Pereira Nunes, em Vila Isabel, zona norte. Na zona sul, uma árvore caiu sobre um ponto de ônibus na Avenida Borges de Medeiros.

Alguns trechos do BRT TransOeste (corredor expresso de ônibus articulados) ficaram com semáforos apagados. Além disso, as estações Cesarão 1, Cesarão 2, Magarça, Ilha de Guaratiba, Recreio Shopping e Glaucio Gil ficaram sem energia por conta de interrupção de fornecimento da Light.

Queda de galhos sobre a rede de distribuição de energia elétrica deixou trechos de 15 bairros da capital sem luz. O apagão também atingiu seis municípios da Baixada Fluminense atendidos pela concessionária Light: Nova Iguaçu, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita, Queimados e Duque de Caxias. Na área de atuação da concessionária Ampla, houve problemas no fornecimento de energia em Niterói, Maricá, Angra dos Reis, Paraty, Cabo Frio, Araruama, Macaé, Magé e São Gonçalo.

* Com Marcelo Gomes da Agência Estado e Agência Brasil