Mais de um milhão, em média, de turistas visitam Porto Seguro a cada ano. A pequena cidade do sul da Bahia é famosa desde que lá chegou a frota de Pedro Álvares Cabral, em 22 de abril de 1500, data em que se considera, oficialmente, que o Brasil foi descoberto pelos portugueses.

Logo na entrada da cidade, um lembrete: “O Brasil começa aqui!” Considerada a “Terra Mãe”, Porto Seguro é um acervo de histórias a céu aberto e em movimento. No dia 22 de abril de 1500, a primeira página da história do Brasil começava a ser escrita nesta terra.

Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) desde 1973 como Patrimônio Histórico Nacional, e reconhecida pela Unesco, no ano 2000, como Patrimônio Natural da Humanidade, a cidade continua com o mesmo céu azul que Pero Vaz Caminha um dia descreveu, e também com o mesmo clima: sempre tropical, a temperatura gira em média de 25 a 32 C, mesmo agora, em fins do inverno.

Se Cabral e sua frota descobriram o Brasil por acaso ou se já tinham uma ideia de que haveria terra por estas bandas, é uma pergunta que historiadores fazem até hoje. Mas a verdade é que há 1513 anos, diariamente, centenas de “Cabrais” vêm aportando e redescobrindo Porto Seguro. Segundo estatísticas oficiais, do IBGE e do Ministério do Turismo, é visitada por cerca de 1 milhão de pessoas por ano.

Para quem quer um pouco de história, a Cidade Histórica guarda ruínas e ostenta um valioso conjunto arquitetônico. Ali começou o berço da civilização brasileira e o primeiro núcleo habitacional do Brasil. Ainda abriga o Marco de Posse (1503 ou 1526); a Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia (construída em 1526 e reconstruída em 1535), com imagem do Nosso Senhor dos Passos.

Visitar Porto Seguro e não beber o “capeta turbinado” é quase uma ofensa. A bebida feita basicamente de vodca, frutas, guaraná em pó e leite condensado tem levado o nome da cidade para outros países.
 
Nas vizinhas Arraial d’Ajuda e Trancoso, muito charme e agitos
 
Ao sul, a fuga é para Arraial d’ Ajuda e Trancoso, que atraem um público mais jovem, em busca de agito e romance. Mas as praias não deixam por menos e são ideais para esquecer o estresse do dia a dia. Bastam alguns poucos dias, ou mesmo um final de semana para garantirem uma renovada no espírito. E, de quebra, fazer sumir um pouco daquela cor pálida de escritório.

Separado de Porto Seguro por um rio, o distrito de Arraial d’Ajuda é cercado por praias de areais brancas e um mar tranquilo, ideal para quem viaja com crianças. As praias, apesar do grande movimento, ainda estão preservadas. Enquanto isso, nas ruas centrais, bares, restaurantes de comida internacional lojas, algumas de grifes famosas, dominam cada espaço e fazem a alegria da moçada . A hospedagem fica por conta das pousada, o que garante a atmosfera bucólica do local.

Para quem busca luxo, uma opção de hospedagem é o Arraial d’Ajuda Eco Resort, pouco antes da entrada da do distrito, que integra o parque aquático do mesmo nome.

Ao redor do Quadrado

Ao lado de Ajuda está Trancoso, uma vila bem menor, mas não menos charmosa, servida por uma boa rodovia que a liga ao arraial. Casinhas coloridas cercam a igreja datada do século XVII, além de lojinhas de artesanato local, bares e restaurantes. Isso sem contar as belas praias.
Em Trancoso, tudo acontece na chamada Praça do Quadrado, onde estão os principais bares e restaurantes da cidade. E, como em Ajuda, costumam ser caros. Mais para dentro da cidadezinha, o turista encontra estabelecimentos com preços mais em conta.

Trancoso tem praia para todos os gostos, desde as mais tranquilas às mais badaladas.
Na praia dos Nativos, por exemplo, tem até quiosque com DJs. Na Ponta de Itaquena, o visitante encontra piscinas naturais e pouco movimento. Com mais uma hora de percurso, chega-se à também quase deserta Barra do Rio dos Frades.

A 20 quilômetros do Quadrado fica a paradisíaca praia do Espelho, considerada uma das mais bonitas do Brasil e do mundo. Ela tem areias brancas e águas tão calmas que parecem mesmo um espelho. Tem ainda falésias, coqueiros e rios.
 
Leia mais na Edição Digital