O verão já acabou, o outono avança sobre a porção centro-sul do Brasil, trazendo frio e as últimas chuvas – mas, lá no Nordeste, o sol ainda teima em brilhar. O calor continua forte, os céus ostentam aquele azul invejável, as águas estão mornas. E Fernando de Noronha está pronta para recebê-lo na baixa temporada.

A filial brasileira do Paraíso é um dos destinos em destaque no turismo internacional. Mesmo se considerarmos o rigor com o número de visitantes simultâneos (por questões ambientais, a entrada de turistas no arquipélago é muito controlada), Fernando de Noronha vem ganhando cada vez mais fama no exterior. E merece ser mais conhecida e apreciada pelos próprios brasileiros.

Chegando lá

O avião decola de Recife ou de Natal e avança sobre o Atlântico. Partindo da capital pernambucana: 1h20 de voo. Do Rio Grande do Norte, 10 minutos a menos.

E já vamos estragando a surpresa que o leitor vai ter quando estiver se aproximando de Fernando de Noronha. É que, tradicionalmente, os pilotos costumam fazer um voo panorâmico ao redor do arquipélago, como se Noronha apresentasse seu cartão de visitas aos nobres turistas: mar de cores fortes, água cristalina, paisagens de tirar o fôlego. Tudo isso você já vê lá do alto e mal pode esperar o avião aterrissar para conferir tudo de perto.

Arquipélago considerado estratégico para o Brasil, tanto em termos de defesa do litoral quanto de proteção ambiental, Fernando de Noronha é formado por 21 ilhas e ilhotas. Sua ilha principal, onde está a “capital”, Vila dos Remédios, tem 17 quilômetros quadrados e fica a 545 quilômetros de Recife e a 360 de Natal. Todo o complexo natural ocupa uma área de 26 quilômetros quadrados.

Mas a frieza dos números não mostra o que é Noronha. Não nos causa as sensações incríveis que temos quando avistamos as ilhas e aquele mar belíssimo lá do alto, no avião. Nem de longe descrevem a beleza que é encarar a Baía dos Porcos, a Praia do Sancho ou o Morro Dois Irmãos.

Para entender e sentir Fernando de Noronha, é preciso estar lá. Pelo menos por uma semana. Aproveite a baixa temporada, com preços mais em conta, ou as férias de julho e reserve seu pacote.

Leia mais sobre Fernando de Noronha na Edição Digital.