A Honda há muito tem trabalho na eletrificação de seus carros, mas sem grande expressividade. Do pequenino EV Plus, de 1997, com vendas homeopáticas ao simpático Honda e (que remete às linhas da primeira geração do Civic), que licenciou apenas 4 mil unidades na Europa em quase dois anos de mercado, a marca ainda não emplacou um modelo com “pilha forte”. Até ontem. 

Isso porque a Honda acaba de apresentar na China a versão elétrica da nova geração do HR-V. E o utilitário-esportivo compacto movido a eletricidade chega para estrear a linha e:N. 

Trata-se da mesma estratégia adotada por marcas europeias como BMW, com a linha i, assim como a ID, da Volkswagen, e a família e-tron, da Audi. Todas criadas para diferenciar os elétricos dos modelos com motores a combustão.

Assim, o HR-V elétrico estreia na terra dos pandas com duas versões. Elas foram batizadas de e:NS1 e e:NP1. O fabricante não revelou os dados técnicos, como potência, autonomia, especificação das baterias e tempo de recarga. 

No entanto, imprensa mandarim crava que o SUV terá versões com diferentes entregas de potência, que variam entre 180 e 200 cv. Também é especulado que a autonomia supere os 500 km.

Mas o que se sabe é que ele contará com tecnologia de assistência a condução Honda Sensing 360. Por dentro, o SUV tem visual limpo, com destaque para o grande monitor vertical que abriga praticamente todo os comandos internos. O quatro de instrumentos também é minimalista e se resume a um monitor retangular à frente do volante. 

Junto com o SUV, também foram anunciados três conceitos da nova divisão, com SUV, sedã e um compacto. A ideia é lançar 10 modelos até 2027.

Por aqui, o a nova geração do HR-V é prometida para 2022. No entanto, virá com versão híbrida. 

Assista também!