O Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, está perto de alcançar os números que tinha antes de a pandemia de coronavírus se instalar, em fevereiro do ano passado, quando o movimento ficava em torno de 900 mil passageiros por mês. Projeções da BH Airport – concessionária responsável pela administração do terminal – apontam que este mês de setembro deve fechar com 600 mil pessoas transportadas, contra 340.886 em abril, mês que teve recordes de casos e mortes por Covid-19 em todo o país.

Com a retomada do movimento, a expectativa é voltar aos mesmos patamares de antes da pandemia – ou até superar – já em dezembro, conforme explica Clayton Begido, gestor de Conectividade e Aviação da BH Airport. “Depois de toda esta crise, vamos chegar ao fim do ano em uma situação melhor do que estávamos antes da pandemia. Existe uma demanda reprimida que vai impulsionar este mercado de maneira muito forte até o fim do ano”, avalia.

Atualmente, o movimento diário no terminal está em 23 mil usuários, contra 11.362 de abril. Para alcançar o mesmo desempenho de antes da pandemia, o aeroporto precisa de mais sete mil pessoas por dia, chegando aos 30 mil passageiros.

Para isso, uma aposta é o aumento na oferta de voos. O Aeroporto de Confins faz hoje a ligação da capital mineira a 41 destinos nacionais e dois internacionais (Lisboa e Cidade do Panamá), em 220 voos diários. Antes da pandemia, eram 45 destinos, em 300 voos. Com a demanda cada vez maior, a BHAirport já prevê que até o fim do ano o terminal deve atender até 55 destinos.

Recuperação nacional

A alta nos números de passageiros em voos comerciais também são projetadas por outro levantamento feito pela Belo Investment Research. Por esse estudo, o número de passageiros transportados por mês até o próximo dezembro, em todo o país, alcançará 8 milhões de pessoas, se aproximando dos 9,6 milhões transportados antes da pandemia. “As pessoas estão mais confiantes em sair de casa com o aumento da imunização e isso teve reflexo direto no aumento do volume de passageiros nos aeroportos”, explica Paulino Oliveira, sócio-diretor da Belo Investment Research.

Agências de viagens

Também as vendas de pacotes pelas agências de viagens aumentaram nas últimas semanas. Segundo a Associação Brasileira de Agências de Viagens de Minas Gerais (Abav-MG), o incremento nas vendas, este mês, já ultrapassa a marca de 20%, na comparação com julho. “As cotações para outubro e fim do ano estão nos deixando muito otimistas. Esse aumento nas vendas não é sazonal ou causado pelos feriados. Existe toda uma expectativa de recuperação do setor que já tem se mostrado firme e linear”, afirma Alexandre Brandão, presidente da Abav-MG.