O trabalhador que pretende solicitar a análise para aposentadoria hoje no Brasil precisa aguardar numa fila que já passou de 1,8 milhão de processos e, a cada mês, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) recebe cerca de mais 600 mil pedidos. Com isso, o advogado especialista em Direito Previdenciário, Braian Santos, aconselha aos interessados “entrarem com um mandado de segurança”.

Mas ele ressalta que essa ferramenta legal é apenas para que o pedido seja analisado e não garante a concessão do benefício. Sem previsão para diminuir a fila de espera, Braian Santos explica que é importante que o trabalhador planeje com antecedência quando vai fazer o pedido do benefício.

Um segundo passo é juntar toda a documentação, pois 25% dos processos estão travados pela falta de certidões e declarações.

Prazo legal

O prazo para um benefício ficar em análise é de 30 dias. Mas, a lei ainda permite que o INSS demore mais 30 dias, caso seja necessário, para apresentar uma resposta ao trabalhador, justificando a prorrogação do prazo. Dessa forma, o prazo legal para um benefício ficar em análise passa para a ser o dobro.

Só que, mesmo assim, esse prazo não está sendo cumprido. Além da falta de servidores, o sistema do INSS, depois da Reforma da Previdência, em 2019, acaba atrasando a análise dos pedidos.

Acompanhe a entrevista com Braian Santos na íntegra:

Leia Mais:
Queiroga critica vacinação antecipada e diz que suspensão está atrelada aos eventos adversos
PBH convoca pessoas de 53 e 54 anos para segunda dose e faz repescagem para 3ª dose em idosos

Palácio das Mangabeiras vai ser aberto para eventos e visitação a partir de 2022