É do apanhar de conchas que surge o nome da península, conta a oralidade do aldeão. São casquinhas duras de moluscos, que se desgrudaram do fundo das águas do litoral, e foram levadas pela maré até o repouso na areia. De lá, o búzio era arrumado pelos pescadores para renascer na forma de arte e fé ancestral. Conforme a crença, as conchinhas carregam em si a energia do mar: cada casca transfere luz e sorte ao portador - forças urgentes a quem vive 2020, afinal.

Essa é uma pitada da história de Armação de Búzios, cidadela das mais charmosas do Brasil, vizinha a Cabo Frio, na Região dos Lagos (RJ), e que harmoniza sofisticação hoteleira e gastronômica, com ecoturismo, valorização da própria história e o esforço no necessário combate à Covid-19. Visitar Búzios, mesmo com o necessário combo máscara + álcool + distanciamento, é oportunidade de recarregar um pouco da energia do nosso búzio interior. É ficar mais forte para enfrentar um novo ciclo.

Quer tudo isso e ainda uma boa notícia? De segunda-feira (14) até 31 de janeiro, ficou mais fácil e rápido acessar esse paraíso: há voos diretos partindo de BH, com pouco mais de uma hora de duração.

Essa vida nova à bateria pode ser alcançada com as agradáveis brisas que abraçam os cerca de 34 mil buzianos ao cair da tarde – vento, aliás, que faz preencher o céu de coloridos parapentes e a Praia de Manguinhos de esportes à vela. Ou talvez venha de um mergulho ou passeio de barco em uma das 26 praias locais, com suas águas cristalinas, que brincam entre o verde e o azul, como em Ferradurinha.

O encanto também está presente no Porto da Barra, janela privilegiada para o pôr do sol, que fica ainda mais agradável com o inesquecível drink Mellon Collie (R$ 26), de cachaça, melão rosa, uva e capim limão, acompanhado de entradas de Pastéis Belli Belli de camarão, alho poró com gorgonzola ou queijo (R$ 8 a unidade) do Belli Belli Gastrobar.

FERRADURINHA IMG_0258 (2).jpg

Praia da Ferradurinha tem águas calmas, com tons que variam entre verde e azul

A caminhada pela orla Bardot é outro ponto de encanto em Búzios. O município ganhou fama em todo o mundo após um irresistível ‘empurrãozinho’ da atriz francesa Brigitte Bardot, hoje com 86 anos. Em 1964, a estrela símbolo sexual dos anos 50 e 60, viveu meses como nativa na cidade. Ela buscava um paraíso para fugir dos fotógrafos. Encontrou, foi embora, mas ficou eternizada em bronze, em bela estátua com sua mala de viagem e jeans surrado.

Nessa orla especialíssima, o convite é para uma refeição em um dos irresistíveis restaurantes, como o beira-mar Madame Bardot Búzios: ao som das águas, o irresistível escalope de Mignon ao Molho de Ervas, acompanhado de arroz com brócolis e batata rústica (R$ 44,90) e suco de blueberry com abacaxi (R$ 15), cai perfeitamente bem.

À noite, o curry vegano de legumes tostados com farofinha de amendoim (R$ 49) do Barba Azul, restaurante vencedor do TripAdvisor Travellers’ Choice Awards deste ano, é a dica. Em seguida, o passeio pela Rua das Pedras apresenta lojas diversas, incluindo selos internacionais, e mais espaços para comidinhas, com destaque para o BastBurger 100% fraldinha e com queijo Minas padrão na chapa (R$ 38) do Bastidores Restobar: é para ressignificar o sabor dos burgers.

Aeronave de nove lugares parte diariamente de Confins na alta temporada

Búzios, distante 586 km de Belo Horizonte (ou cerca de 9h de carro) estará mais ‘próxima’ dos belo-horizontinos neste verão: a Azul Conecta - empresa sub-regional da Azul Linhas Aéreas que opera com aviões menores - terá voos comerciais diários inéditos do Aeroporto de BH, em Confins, na Grande BH, para o balneário fluminense e para Guarapari (ES).

Ao todo, a empresa vai operar 38 viagens por dia para nove dos destinos mais procurados na alta temporada brasileira, como Jericoacoara, no Ceará, e Paraty, no Rio, no período entre a próxima segunda-feira (14) e 31 de janeiro de 2021.

CESSNA GRAND CARAVAN_FOTO LUIS ALBERTO NEVES.jpg

Aeronave de nove lugares oferece viagem rápida e confortável

A reportagem foi convidada para conhecer o voo Confins-Búzios: apesar de tamanho menor, o Cessna Grand Caravan, de nove lugares, oferece viagem confortável, sem balanços, e rápida: a ida foi feita em apenas 1h20. As passagens já estão à venda no site www.voeazul.com.br/azulconecta com trechos a partir de R$ 256,59 (Búzios); e a partir de R$ 251,59 (Guarapari), partindo de BH.

Como destaca Daniel Bicudo, diretor de marketing da empresa, a iniciativa deverá ampliar o chamado “travel office” (trabalhar remotamente em destino turístico), além de oferecer outras vantagens. “A frota diversa permite resumir longas horas de estrada a alguns minutos a bordo dos confortáveis aviões da Azul Conecta”, disse.

Hotelaria investiu na prevenção contra Covid

A pandemia de Covid-19 redobrou a preocupação com a higienização nos hotéis de Búzios. A cidade, que ficou praticamente toda fechada entre abril e agosto deste ano, permitiu a reabertura gradual de estabelecimentos. Ninguém gostou do longo tempo em suspenso, mas o empresariado reagiu, reforçando as medidas de combate à doença, de forma a evitar novo fechamento.

Na Pousada e Restaurante Corsário, localizada na Praia dos Ossos, a higienização segue padrão internacional, com sanitização dupla de móveis, ambientes e chaves, além de outras práticas. No Rio Búzios, em frente à Praia de João Fernandes, o café da manhã só é servido a hóspedes com máscara e luvas. Quem não usa é advertido.

Panoramicas- CENTRO NOITE 9.jpg

Passeio pelo Centro tem culinária variada

Em ambos hotéis, a expectativa é de melhoria nos índices de ocupação, sempre com respeito às regras de combate à pandemia. O Corsário, que tem nos mineiros o segundo maior índice de ocupação (25%) de visitantes, programa a contratação de mais funcionários devido à boa expectativa de ocupação no verão.

Além disso, o hotel diminuiu o valor da hospedagem em um dos quartos principais da casa, de frente para o mar e em área superior. “A gente se reinventou com a pandemia, na verdade, e estamos muito mais preocupados em oferecer experiências do que apenas vender o quarto”, explicou Daniel Laureano, gerente-geral do Corsário.

“O visitante vinha passar o dia em Búzios, adorava, mas ia para outra cidade. Hoje, ele percebe que Búzios é uma cidade que oferece pousadas para todos os níveis de preços e que é uma cidade que oferece coisas que outra cidade do Brasil não oferece”, opinou Flavio Irigoitía, gerente de vendas e reservas dos hotéis Rio Búzios.

* O jornalista viajou a convite da Azul Linhas Aéreas.