O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), avaliou a polarização dos debates envolvendo as vacinas contra a Covid-19. Para o chefe do Executivo, se o governo federal não adquirir os imunizantes será “uma das coisas mais graves que podem acontecer nesse país”. Entretanto, ele acredita que as doses serão compradas, independentemente de questões políticas.

“Se a vacina do Butantan funcionar, não tenho a menor dúvida de que o governo vai comprar. Está sendo politizado porque interessa essa polarização entre os dois (sem citar nomes, mas se referindo ao governador de São Paulo Dória e ao presidente Bolsonaro), então eles tiram o melhor custo benefício desse bate-boca”, disse Kalil, em entrevista à Globo News, nesta quarta-feira (2).

O prefeito disse, ainda, que o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso deverão garantir a imunização dos brasileiros. “Temos vários órgãos para proteger a população do Brasil com atitudes, então isso não vai ser feito, definitivamente”, completou.

Ele ressaltou que, o que pode vir a acontecer em outros municípios, é a falta de insumos, algo que não deve ocorrer em BH. Segundo Kalil, a prefeitura já se preveniu, adquirindo 2 milhões de seringas. Desse total, 1 milhão já está disponível para uso imediato.

“Há um desespero absoluto na população mundial querendo essa vacina. Todo mundo quer tomar o mais rápido possível, então isso não se pode brincar”, concluiu.

Leia mais:

Kalil rebate Eduardo Bolsonaro após ser chamado de 'projeto de ditador': ‘É muito bobo’