Joe Biden é o mais novo presidente dos Estados Unidos. O candidato pelo Partido Democrata venceu as eleições presidenciais que disputava com o atual mandatário, o republicano Donald Trump.

Biden se tornou o 46º presidente dos EUA, apesar de a apuração das urnas ainda não ter sido concluída. No entanto, o democrata já conquistou o número suficiente de colégios eleitorais para assegurar a vitória. Foram 290 dos 538 votos dos delegados, o que torna praticamente impossível uma reviravolta, mesmo com recontagem dos votos. 

A derrota de Trump foi marcada pelo recorde de votos conquistados por um único candidato. Biden teve mais de 74 milhões de votos.

Porém, o atual chefe da nação também quebrou uma marca. Ele é o segundo candidato mais votado da história das eleições presidenciais nos EUA, com mais de 70 milhões.

Casa Branca

Com 77 anos, Biden conhece bem a Casa Branca, ele foi vice-presidente de Barack Obama entre 2009 e 2017. Há 30 anos ele atua como senador pelo Partido Democrata. 

Pelo Twitter, Joe Biden postou um agradecimento aos eleitores e escreveu um recado para os estadunidenses: "América, estou honrado por você ter me escolhido para liderar nosso grande país. O trabalho que temos pela frente será árduo, mas eu prometo a você o seguinte: serei um presidente para todos os americanos - quer você tenha votado em mim ou não. Vou manter a fé que você colocou em mim".

 

Agenda internacional

Ainda em campanha, Biden deixou claro que um dos primeiros atos no cenário político internacional, será o retorno ao Acordo de Paris, que prevê ações para redução do aquecimento global. Durante a corrida eleitoral, o democrata também disse que pretendia oferecer recursos para ajudar o Brasil conter o desmatamento da Amazônia. Sugestão que foi recebida como uma afronta pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. Na ocasião, ele respondeu que não aceitaria "suborno".