A disputa pelo cargo máximo do Executivo em Nova Lima, na Grande BH, segue agitada. A Justiça Eleitoral determinou a apreensão imediata de panfletos irregulares, distribuídos pelo candidato a prefeito Wesley de Jesus (Democratas). A decisão atende a um pedido de liminar da coligação “Nova Lima de Todos e Todas”.

Conforme a determinação da 194ª Zona Eleitoral da cidade, publicada nesta quinta-feira (29), o candidato intimado deve entregar ao cartório eleitoral todos os folhetos que ainda não foram distribuídos em até 24 horas. O prazo termina às 8h52 desta sexta-feira (30).

Na publicidade irregular, o servidor público Leonardo Costa, chefe de gabinete do vice e candidato a prefeito João Marcelo (Cidadania), é acusado de disseminar fake news em uma gravação. A ordem judicial de recolhimento dos exemplares ocorre dias após uma perícia constatar que a voz no áudio não pertence a ele.

"A verdade sobre esse episódio lamentável está sendo restabelecida. Sempre acreditei na Justiça. As pessoas que patrocinaram essa mentira envolvendo meu nome terão que se explicar, não só à Justiça, mas ao povo de Nova Lima", disse Leonardo Costa

Em nota, o candidato João Marcelo disse que sua campanha se preocupa em discutir os verdadeiros problemas da cidade. “Que são muitos, e em apresentar as melhores propostas para resolvê-los. Afinal, a maior verdade é que a cidade precisa de mudança e de renovação”.

Já a assessoria de Wesley de Jesus informou que confia nas autoridades para esclarecer os fatos. "Nossa campanha foi atacada nas redes sociais com a divulgação de um vídeo com denúncias falsas. Este é o fato que as campanhas adversárias não explicam, ao mesmo tempo em que tentam desviar a atenção dos eleitores criando uma disputa de laudos periciais e recursos judiciais".