A Prefeitura de Belo Horizonte avalia fechar supermercados e outros tipos de comércios na cidade aos domingos na tentativa de frear a propagação do novo coronavírus. A informação foi anunciada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) durante entrevista ao vivo e exclusiva ao jornal Hoje em Dia, nesta quinta-feira (9). “Vamos fechar tudo aos domingos. Tudo não, porque não pode fechar hospital e farmácia”, disse o prefeito.

Segundo ele, a administração municipal estuda restringir o funcionamento de, por exemplo, supermercados e empresas alimentícias, inclusive lanchonetes, bares e restaurantes, que estão autorizados a funcionar por delivery e retirada no balcão desde 20 de março.

De acordo com o infectologista Unaí Tupinambás, membro do Comitê de Enfrentamento à Epidemia de Covid-19 em Belo Horizonte, uma maior restrição ao funcionamento do comércio aos domingos poderia, sim, contribuir para a contenção do novo coronavírus. Afinal, com menos lojas abertas, haveria menos trabalhadores e consumidores nas ruas.

“Tudo o que for feito para reduzir a circulação de pessoas é bom neste momento. Temos que fazer de tudo para que as pessoas fiquem em casa. Se não, poderemos entrar numa situação de extremo risco. Poderemos chegar a um colapso na saúde se as pessoas não atenderem ao isolamento social”, explicou o infectologista e professor da Faculdade de Medicina da UFMG.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta quarta-feira (8), Belo Horizonte contabiliza 9.361 casos confirmados da doença e 201 óbitos. Entre os 360 leitos de UTI reservados a pacientes com Covid-19, 92% estão ocupados.

Transporte público

De acordo com decreto publicado e retificado na terça-feira (7), os horários do transporte público no domingo foram restringidos. As viagens serão realizadas entre 6h e 9h59 e entre 16h e 19h59 – exceto linhas alimentadoras das estações de integração, que também terão viagens aos domingos e feriados na faixa horária compreendida entre 20h e 20h59. Ou seja, os ônibus não irão circular na capital entre 10h e 16h aos domingos e feriados.

Mas o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH) reivindica junto à administração municipal que não haja circulação de ônibus nos finais de semana.