Aventado, na última sexta-feira (3), como possível novo ministro da Educação, o secretário da mesma pasta no Paraná, Renato Feder, recusou o convite do presidente Jair Bolsonaro para o cargo. 

Por meio das redes sociais, o professor, que é também diretor de escola, empresário e administrador, afirmou, neste domingo (5), que segue somente com o projeto no Estado do Sul do país. "Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido", escreveu. 

Feder contou, ainda, que recebeu o convite, pelo qual se diz honrado, por meio de uma ligação de Bolsonaro recebida na última quinta-feira (2). Segundo o secretário de Educação do Paraná, a proposta do presidente da República "coroa o bom trabalho feito por 90 mil profissionais de Educação do Paraná".

Desde a saída de Abraham Weintraub, em 18 de junho, o nome de Feder vinha sendo cogitado para o cargo. Antes dele, porém, assumiu Carlos Alberto Decotelli, que não chegou a tomar posse e pediu demissão na última terça-feira (30), cinco dias depois da nomeação ter sido publicada no Diário Oficial da União.