O governador Romeu Zema (Novo) apresentou na noite de quarta-feira (22) o “Minas Consciente”, programa sobre a reativação gradual de alguns setores da economia durante o isolamento social. O protocolo com as orientações do Estado para flexibilizar as atividades será entregue aos municípios na semana que vem.

As áreas comerciais que fazem parte do planejamento foram divididas em quatro "ondas": essenciais, baixo, médio e alto risco. A lista não contempla todos os setores da economia. Restaurantes e bares, por exemplo, ficaram de fora.

De acordo com Zema, a flexibilização se dará de maneira responsável, observando o impacto das medidas no sistema de saúde. Caberá ao município definir como será a reabertura do comércio. Porém, a medida poderá ser revogada pelo governo de Minas em caso de aumento no número de casos da doença. Para o governador, é possível falar em retomada das atividades porque a pandemia de Covid-19 está sob controle no Estado.

Veja os serviços liberados conforme as "ondas":

Onda 0 (serviços essenciais)

- Hipermercado;
- Lojas de material de construção;
- Autopeças;
- Farmácias e drogarias;
- Lojas de venda e manutenção de equipamentos elétricos e eletrônicos;
- Padarias e confeitarias;
- Revendas de gás;
- Açougue;
- Serviços de RH e terceirização;
- Supermercados e afins;
- Postos de gasolina.

Onda 1 (serviços de baixo risco)

- Concessionárias, revendas e oficinas de veículos motorizados;
- Joalherias e relojoarias;
- Lojas de vestuário, acessórios, calçados e afins;
- Lojas de artigos esportivos e afins;
- Lojas de artigos para casa, tecidos e aviamentos;
- Lojas de móveis e colchões;
- Lojas de variedades;
- Lojas de fogos de artifício;
- Serviços de publicidade e afins;
- Agências de turismo e afins.

Onda 2 (serviços de médio risco)

- Hotéis e afins;
- Comércio de animais vivos;
- Comércio de plantas e flores;
- Lojas de eletrodomésticos de áudio e vídeo;
- Comércio de artigos de papelaria e afins;
- Tabacarias;
- Lojas de brinquedos;
- Lojas de departamento e magazines;
- Comércio para artigos de caça, pesca e camping;
- Comércio de instrumentos musicais e acessórios, equipamentos de áudio e vídeo;
- Comércio varejista de equipamentos para escritório.

Onda 3 (serviços de alto risco)

- Comércio de souvenires, bijuterias e artesanatos;
- Lojas de variedades;
- Varejista de outros artigos usados;
- Cabeleireiros e outras atividades de tratamento de beleza;
- Comércio varejista de discos, CDs, DVDs e fitas;
- Comércio varejista de livros;
- Comércio varejista de doces, balas, bombons e semelhantes;
- Bancas de jornais e revistas;
- Varejo de equipamentos de telefonia e comunicação;
- Lojas de artigos fotográficos e para filmagem;
​- Lojas duty free de aeroportos internacionais;

Leia também:
Zema divulga como deverá ser a reabertura gradual do comércio nas cidades mineiras
Câmara discute nesta quinta relaxamento em lojas e templos de BH
Covid-19: aulas nas escolas particulares podem terminar só em 2021