Ela já é uma importante aliada de qualquer negócio que se preze, mas, em tempos de pandemia do novo coronavírus, passou a ser ainda mais importante. Em tempos de isolamento social e lojas fechadas, contar com a ajuda da tecnologia se mostra fundamental para não interromper as atividades. A ajuda de ferramentas virtuais vem criando cenários que pareciam impensáveis, e têm tudo para ficar depois de passado o momento crítico. Até mesmo a compra de um imóvel pode ser feita quase totalmente à distância.

“Nós temos oferecido a visita virtual, em que o corretor vai ao apartamento, por exemplo, e pela chamada de vídeo mostra os detalhes, responde perguntas. Hoje a única etapa que ainda exige presença física é a questão do registro, nos cartórios de imóveis”, destaca Cássia Ximenes, presidente do Conselho do Mercado Imobiliário de Minas Gerais, Cássia Ximenes.

E já há quem se aproveite da possibilidade para fechar negócio, como a auxiliar de locação Amanda Lorena, de 22 anos. Ela entrou em contato com a construtora pelas redes sociais, foi atendida por uma vendedora e, de forma remota, bateu o martelo. “Faz quatro anos que sonho em ter meu imóvel próprio e em meio a esse caos encontrei a facilidade que eu precisava. Realizei todo o procedimento de casa e agora só falta pegar as chaves”, conta.

Com concessionárias de cinco marcas de motocicletas em Belo Horizonte, o Grupo Orange já apostava nas vendas online, especialmente de peças e acessórios. A compra de motos pelos canais virtuais (especialmente whatsapp) era uma alternativa e, agora, se tornou a única forma de manter os negócios até que seja possível reabrir as portas. “Conseguimos entregar a moto ao cliente, ou ele pode agendar a retirada, já que mantemos uma equipe mínima nas lojas. Assim, temos feito algumas vendas. Principalmente de modelos mais populares e scooters, que se tornaram mais importantes para as entregas domésticas. Acredito que essa modalidade vai se tornar bem mais usada depois da pandemia. As pessoas a estão descobrindo por necessidade, e constatam a comodidade”, destaca o proprietário, Felipe Nacif.

Fidelização
Fidelizar o cliente também é uma preocupação para quem não pode oferecer os serviços de forma habitual. Academias de ginástica têm apostado nas aulas virtuais gratuitas pelas mídias sociais, para ajudar na realidade de quarentena, à espera da volta ao cenário de normalidade. É fundamental que todos continuem praticando exercícios, independente se são nossos alunos, pois além de contribuir para o melhor funcionamento do sistema imunológico também estamos diminuindo o estresse, que é essencial para o momento que estamos vivendo”, explica Gustavo Fleming, gerente-geral da Cia Athlética em BH.


Com o aumento do número de pessoas que passaram a trabalhar de casa, os aplicativos capazes de reunir grupos para reuniões e discussões se tornaram aliados ainda mais importantes. Por meio deles, grandes empresas conseguem contornar as restrições internacionais de viagens e manter a troca de informações. Mas também professores e profissionais liberais conseguem interagir com alunos e clientes.

Criado pelo chinês radicado nos Estados Unidos Eric Yuan, o Zoom tem registrado movimento superior a 200 milhões de usuários/dia. O app permite reunir até 500 pessoas num mesmo ambiente, mas é acusado por especialistas de ter acesso a dados particulares e favorecer a disseminação de malwares. Da mesma forma, o Google Hangouts experimenta um pico diário que, segundo a empresa, é 25 vezes superior ao registrado nos dois primeiros meses de 2020. A gigante da tecnologia garante ter estrutura de dados suficiente para lidar com o aumento. Antes mesmo da pandemia ela havia adiado a migração da ferramenta para os formatos Hangouts Chat e Meet.

 

ALÉM DISSO

Com o aumento do número de pessoas que passaram a trabalhar de casa, os aplicativos capazes de reunir grupos para reuniões e discussões se tornaram aliados ainda mais importantes. Por meio deles, grandes empresas conseguem contornar as restrições internacionais de viagens e manter a troca de informações. Mas também professores e profissionais liberais conseguem interagir com alunos e clientes.
Criado pelo chinês radicado nos Estados Unidos Eric Yuan, o Zoom tem registrado movimento superior a 200 milhões de usuários/dia. O app permite reunir até 500 pessoas num mesmo ambiente, mas é acusado por especialistas de ter acesso a dados particulares e favorecer a disseminação de malwares. Da mesma forma, o Google Hangouts experimenta um pico diário que, segundo a empresa, é 25 vezes superior ao registrado nos dois primeiros meses de 2020. A gigante da tecnologia garante ter estrutura de dados suficiente para lidar com o aumento. Antes mesmo da pandemia ela havia adiado a migração da ferramenta para os formatos Hangouts Chat e Meet.